Só pódio vai deixar Zé Roberto satisfeito

O técnico José Roberto Guimarães acha que ficar fora do pódio na Olimpíada de Atenas será um ?desastre absoluto? para a seleção brasileira de vôlei feminino. O parâmetro, na sua avaliação, são os resultados das duas últimas Olimpíadas, quando a seleção trouxe duas medalhas de bronze. Mas também afirma que numa competição como essa, em que conta o momento, ?todas as alternativas podem ocorrer. O Brasil pode ser ouro, prata, bronze ou não se classificar?. Mas o técnico está trabalhando para ir ao pódio ? por enquanto os treinos ainda são físicos ?, conseguir o comprometimento do grupo e ?rezando muito?. Já fez a promessa de percorrer a pé novamente o caminho de Santiago de Compostela se o Brasil for ao pódio e tem recebido a ajuda da comissão técnica no seu apelo aos santos. O assistente-técnico Cacá Bizocchi trouxe para o treino um terço vindo de Fátima, em Portugal. ?Tudo quanto é santo já foi acionado?, afirma Zé Roberto, que tem fé. ?É algo que move o mundo.? Ao contrário do que poderia parecer, o técnico ficou preocupado com o fato de o Brasil ter caído em uma chave mais fácil na fase de classificação olímpica, com Japão, Coréia, Itália, Quênia e Grécia ? no outro grupo estão Rússia, Alemanha, Cuba, Estados Unidos, China e República Dominicana (um sorteio, dia 7 de junho, determinará a ordem dos jogos). ?Dos grupos mais fortes sempre saíram os campeões olímpicos. Podemos até sair em primeiro do grupo, mas qualquer quarto que cruzarmos em uma fase decisiva ? China, Rússia, Estados Unidos, Cuba ou Alemanha ? será um adversário difícil.? A seleção, que está treinando em São Paulo, com 14 jogadoras, disputa o Grand Prix, de 7 a 24 de julho, a fase de classificação, na Ásia, e de 27 de julho a 1º de agosto, a esta final, na Itália.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.