Sobrou para vice da FPF e secretária

Marco Polo del Nero resolve tirar poderes de colaboradores, depois de denunciar tentativa de corrupção na final

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

09 de dezembro de 2008 | 00h00

Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), admitiu que foi o autor da denúncia que levantou suspeitas sobre suposta tentativa de manipulação do resultado do jogo entre o Goiás e o campeão São Paulo, pelo Campeonato Brasileiro. O dirigente contou que recebeu, na sexta-feira à noite, ligação de sua secretária, Lilian. Soube então que uma funcionária do clube paulista mandaria envelope no nome do árbitro Wagner Tardelli Azevedo para o vice-presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos. Del Nero decidiu, ontem, afastar sua secretária e tirar poder de seu vice "até que a denúncia seja apurada".O dirigente entrou em contato com o Ministério Público e, depois, com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para informar sua "preocupação". Ricardo Teixeira, presidente da entidade, resolveu tirar imediatamente Wagner Tardelli da partida e abrir inquérito no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O presidente da FPF disse que cumpriu sua obrigação e que os envolvidos foram afastados para serem preservados enquanto o episódio não é esclarecido. "Se surgisse esse fato hoje, depois de o São Paulo ter sido campeão, como ficaria esse campeonato?", indagou o dirigente. "Faria tudo de novo, se fosse preciso. Se o árbitro tivesse apitado e se descobrissem isso daqui a alguns anos, seria um episódio lamentável."Reinaldo Carneiro é vice-presidente eleito da FPF. Está na entidade desde a época de Eduardo José Farah, ex-presidente. Em 2005, teve seu nome envolvido no episódio da "Máfia do Apito", em que o árbitro Edílson Pereira de Carvalho assumiu que recebeu dinheiro para manipular resultados de partidas do Brasileiro. Foi inocentado. Mesmo assim, desde aquela época, perdeu a confiança do atual presidente da entidade."Tomei a arbitragem como minha responsabilidade e pedi que ele (Reinaldo) se afastasse. Ele aceitou. Só não o afasto agora porque ele tem função estatutária, precisa trabalhar, mas chamei a administração da FPF toda para mim", disse Del Nero. "Não gostei do que houve."Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo, confirmou o envio de ingressos para o show de Madonna. Segundo dirigentes são-paulinos, no entanto, eles foram mandados a pedido de Reinaldo Carneiro e nada tinham a ver com Wagner Tardelli. Juvenal se irritou com a mudança de árbitro no jogo de domingo. Para o presidente da FPF contudo, o afastamento de Tardelli torna o São Paulo o campeão brasileiro de fato e de direito. "O título não sai do Morumbi, o jogo correu limpo", avaliou. "Hoje o campeonato terminou bem, existe um legítimo campeão, porque não há suspeitas. Mas vamos esperar o inquérito."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.