Sonho de Miranda: Copa 2010

Enquanto zagueiro quer vaga na seleção, Aloísio deixa o São Paulo

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

30 de agosto de 2008 | 00h00

O zagueiro Miranda deve ser mais uma novidade do São Paulo - a outra é Hernanes - para o clássico de amanhã contra o Santos, no Morumbi. Recuperado de lesão no joelho que o deixou 45 dias afastado dos gramados, ele volta com sede de mostrar serviço e meta bem traçada em sua carreira: ser convocado logo para a seleção brasileira e firmar-se para atuar na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul."Quero voltar a jogar o futebol de antes da contusão", afirmou Miranda. "Não procuro me convocar no marketing pessoal, mas espero que seja chamado para a seleção pelo meu trabalho. O objetivo é disputar a próxima Copa."No time de Muricy Ramalho, a volta do zagueiro é muito bem-vinda. "Ele (Miranda) vem treinando bem, mostrou que está recuperado na parte clínica", analisou o treinador. "Falta apenas maior ritmo de jogo, mas isso só se consegue jogando", emendou. "Na minha opinião, é o melhor zagueiro do Brasil e ainda vai nos ajudar muito."É um recado para Dunga, que convocou o zagueiro apenas uma vez para a seleção, em agosto de 2007, para amistoso contra a Argélia. Mesmo assim, na ocasião o são-paulino foi chamado somente depois do corte do titular Lúcio, do Bayern de Munique. "Claro que fico chateado, mas o Dunga tem as suas preferências e tenho de respeitar", resignou-se o zagueiro tricolor. "Quem sabe se o treinador fosse o Muricy...", brincou.ALOÍSIO NO CATAREnquanto o zagueiro pensa mostrar futebol para voltar à seleção, Aloísio dá adeus ao clube em que foi campeão mundial em 2005. O atacante foi negociado com o Al-Rayyan, time treinado por Paulo Autuori. O São Paulo vai receber US$ 1 milhão (US$ 1,6 milhão) pela transação. "Por tudo o que o Aloísio fez aqui, tínhamos o compromisso de liberá-lo em troca de uma boa proposta do exterior", declarou João Paulo Jesus Lopes, diretor de futebol são-paulino.DAGOBERTO FORASe não tem muitas opções, Muricy também ficou sem Dagoberto para o clássico. O meia foi julgado ontem pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pela cotovelada que deu em Léo, do Grêmio, no confronto do dia 17, e recebeu punição de duas partidas de suspensão. Como já cumpriu um jogo, fica fora também do duelo com o Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.