Sotomayor é flagrado em antidoping

O atleta cubano Javier Sotomayor, recordista mundial e o maior nome da história do salto em altura, teve resultado positivo em um exame antidoping realizado no Meeting Internacional de Tenerife, na Espanha, em julho deste ano. O teste revelou uma taxa de nandrolona quatro vezes maior que a permitida. A substância é um anabolizante que facilita o trabalho muscular e ajuda a se recuperar mais rapidamente de contusões.Apesar de já estar afastado das competições, Sotomayor deve ser suspenso pelo resto da vida, pois é reincidente no uso de substâncias proibidas. A primeira foi cocaína, detectada num exame feito durante os Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no Canadá, em 1999.Na ocasião, Sotomayor foi suspenso por dois anos, mas depois foi perdoado pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF), por causa de sua ?excepcional trajetória esportiva?. O atleta, apoiado pela federação cubana, jurou que era inocente e disse ser vítima de um complô contra ele e o regime de Fidel Castro. Com o indulto, o atleta de 34 anos pôde participar dos Jogos Olímpicos de Sydney, no qual ganhou a medalha de prata, com um salto de 2,32 metros, muito aquém de seu recorde de 2,45 metros. Em setembro deste ano, Sotomayor competiu pela última vez, no Meeting do Japão, e venceu a prova saltando 2,31 metros. Quatro semanas depois, ele surpreendeu anunciando o fim de sua carreira, dois meses após dizer, no Mundial de Edmonton, que ainda competiria por mais um ano.A contra-prova do exame que revelou o uso de nandrolona em Tenerife foi aberta na semana passada. Antes de competir em Tenerife, Sotomayor disse que sentia uma tendinite na perna esquerda. Ainda assim, ganhou a prova com um salto de 2,29 metros. Além do recorde mundial, Sotomayor foi sete vez campeão mundial, uma vez campeão olímpico e da Copa do Mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.