SPAC vira em cima do Pasteur e conquista 13º título nacional de rúgbi

Equipe de origem inglesa marca 22 a 18 sobre os rivais e faz a festa na Arena Barueri

O Estado de S. Paulo

19 de outubro de 2013 | 17h02

BARUERI - Em uma partida emocionante e cheia de rivalidade histórica, o SPAC (de origem inglesa) derrotou neste sábado o Pasteur (de origem francesa) por 22 a 18, de virada, e conquistou o título do Super 10, o Campeonato Brasileiro de Rúgbi. A partida foi disputada na Arena Barueri, que adaptou as traves e as linhas do campo para os padrões oficiais do esporte, que fará parte do programa oficial dos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio. Diante de uma torcida fanática, as equipes protagonizaram um bom espetáculo, mas no final o São Paulo Atheltic Club levou a melhor.

Com o resultado, o time de origem inglesa obteve seu 13º título nacional, um recorde no País. "Essa sensação é única. Faz um ano que jogo pelo SPAC e é uma honra conquistar esse título pelo clube. Foi a primeira vez que joguei em um estádio tão grande e foi muito bom ver tanta gente de azul e branco torcendo para nós", contou o centro Martin Schaeffer, do SPAC, considerado o melhor em campo. Um detalhe interessante do confronto foi que, como parte da campanha Outubro Rosa, que visa prevenir as mulheres contra o câncer de mama, os atletas de Pasteur e SPAC entraram em campo vestindo uma camiseta rosa, fornecida pela Topper, patrocinadora da confederação.

O jogo começou estudado pelos dois times. Gu, de penal, abriu o placar para o Pasteur anotando 3 a 0. O SPAC, entretanto, não se intimidou e logo foi para cima. O hooker Cocão, pela ponta, foi quem marcou o primeiro try do jogo, virando o placar para 5 a 3, já que Leco não converteu. O SPAC então aproveitou seu bom momento para pressionar. Após bela jogada, Martin escapou pelo meio e anotou mais um try para os ingleses, desta vez convertido por Leco: 12 a 3. Já no fim do primeiro tempo o Pasteur conseguiu esboçar uma reação, com um try de Ogro, que determinou o placar da etapa: SPAC 12 a 8.

Precisando reverter o marcador, o Pasteur veio para o segundo tempo pressionando o adversário. Logo aos 2 minutos, um try colocou os franceses novamente na frente, com 13 a 12 no placar. Aos 19 minutos, o SPAC avançou rapidamente ao ataque, Careca se livrou da marcação, mas deixou a bola cair no ingoal. Henrique Platais, árbitro da final, revisou na televisão e marcou o knock on.

No lance seguinte, o Pasteur fez mais um try não convertido, de Diegão, após blitz na defesa inglesa, abrindo 18 a 12 a 15 minutos do fim da partida. O SPAC, entretanto, respondeu na sequência. Após roubar a bola no ataque, o time fez ótima troca de passes até o try de Boy, não convertido por Leco. Em um final de jogo emocionante, Boy avançou rapidamente pela esquerda para virar outra vez o placar, colocando o SPAC na frente nos últimos minutos do jogo, decretando o placar final de 22 a 18 para os ingleses.

FICHA TÉCNICA

SPAC 22 x 18 Pasteur

SPAC: 1 – Palleco, 2 – Cocão, 3 – Abud, 4 – Matthias, 5 – Dé, 6 – Bolinha, 7 – Cabelo, 18 – Nick, 9 – Torosso, 10 – Leco, 11 – Boy, 12 – Caiçara, 13 – Martin, 14 – Zé, 15 – Alemão. Reservas: 16 – Xande, 17 – Fabinho, 19 – Mamute, 8 – Cocasso, 20 – Arthur, 21 – Cleaver, 22 – Careca, 23 – Anderson.

Pasteur: 1 – Bi, 2 – David, 3 – Leleco, 18 – Diegão, 4 – Ogro, 6 – Olynthinho, 7 – Freitas, 8 – Junior, 9 – CB, 10 – Beukes, 12 – Lipe, 13 – Marquinhos, 14 – Ogum, 25 – Thiago, 15 – Gu. Reservas: 17 – Cacuro, 16 – Germano, 11 – Matias, 20 – Nego, 21 – Yoan, 5 – Pedrão, 24 – Victor, 19 – Fel.

Árbitro: Henrique Platais.

Local: Arena Barueri.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.