Gustavo Epifanio/Divulgação
Gustavo Epifanio/Divulgação

Spinelli crê em bom resultado e teme etapa maratona do Dacar

Piloto brasileiro alerta para dificuldade do trecho situado no deserto entre Chile e Argentina, onde será preciso percorrer quase 2 mil km

Estadão Conteúdo

29 de dezembro de 2014 | 15h49

Componentes da única dupla do Brasil inscrita para a disputa dos carros do Rali Dacar de 2015, Guilherme Spinelli e Youssef Haddad competem a partir do próximo sábado sob a expectativa de conseguirem um resultado expressivo, além de evitarem a repetição do desempenho deste ano, quando precisaram abandonar a disputa.

"É uma grande responsabilidade. Mas vamos enfrentar todos os outros países e todas as outras equipes para representar o Brasil da melhor forma possível", afirmou Guilherme Spinelli, que teve a nona colocação na edição de 2011 do Dacar como seu principal resultado.

Pronto para participar de mais uma edição do Dacar, o brasileiro revelou preocupação especial com a disputa da etapa maratona, em que os competidores não podem ter apoio mecânico de suas equipes, que abrange o 10º e 11º dias, entre as cidades de Calama, no Chile, e Termas Rio Hondo, na Argentina. 

"É bem crítico, pois não temos a revisão tradicional no carro. Serão dois dias que passam a ser somados como um, totalizando 1.380 quilômetros e 553 quilômetros de especiais", explicou. 

Além da dupla, o Brasil terá outros três representantes na edição de 2015 do Dacar. Jean Azevedo disputa a prova entre as motos, Eduardo Sachs, que será navegador do português Ricardo Leal entre os carros, e André Suguita competirá nos quadriciclos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.