AaronJosefczyk/Reuters
AaronJosefczyk/Reuters

Steelers e Jets disputam o título da AFC e vaga no Super Bowl

Confronto coloca equipes com características parecidas no Heinz Field, em Pittsburgh

ALAN RAFAEL VILLAVERDE, estadão.com.br

23 de janeiro de 2011 | 11h04

SÃO PAULO – Neste domingo, a partir das 21h30 (de Brasília), no Heinz Field, em Pittsburgh, dois times com características parecidas se enfrentarão pelo título da Conferência Americana da NFL, que dará uma vaga no Super Bowl XLV, que será disputado no dia 6 de fevereiro, em Dallas. São eles: Pittsburgh Steelers e New York Jets.

As similaridades dos dois finalistas da AFC se resumem ao estilo de jogo. Na defesa, uma excelente secundária possibilita à linha defensiva tempo para pressionar o quarterback adversário. No ataque, uma boa mistura de jogo terrestre com o de passe dá controle da bola oval, sem espaços para muitos erros.

Mas, fora do campo, a diferença ainda é grande entre Steelers e Jets. A equipe de Pittsburgh, apesar do pequeno mercado, é a maior vencedora de Super Bowls, com seis títulos, enquanto a franquia de Nova York procura pelo segundo. O primeiro foi conquistado em 1969 com uma vitória por 16 a 7 sobre o Baltimore Colts (que atualmente joga em Indianápolis).

Para o sonho do bicampeonato se concretizar, será necessário mais um teste para o Jets, o terceiro nestes playoffs. Depois de vencer os quarterbacks Peyton Manning, do Indianápolis Colts, e Tom Brady, do então favorito New England Patriots, a equipe do técnico Rex Ryan tem de vencer Ben Roethlisberger, que já possui dois títulos de Super Bowl.

"Ben é um competidor. Eu gosto dele”, disse o defensor do NY Jets, Antonio Cromartie, que não tinha essa opinião do quarterback Tom Brady, chegando a xingá-lo durante uma coletiva de imprensa antes da vitória de sua equipe sobre o Patriots, na semifinal da AFC.

A admiração dos jogadores do Jets pelo quarterback adversário foi reforçada na partida entre Steelers e Ravens, ainda pela fase de classificação, quando Roethlisberger teve o nariz quebrado, mas continuou no jogo, liderando sua equipe à vitória. “Qualquer um que consegue manter-se [na partida] daquela maneira, com o nariz quebrado, é um cara duro de ser batido”, disse Trevor Pryce, da linha defensiva.

O quarterback do Jets, Mark Sanchez, busca pelo mesmo reconhecimento de seu adversário deste domingo. Apesar de estar somente em seu segundo ano de carreira e já ter levado sua equipe a duas finais da AFC, com quatro vitórias e apenas uma derrota em playoffs, Sanchez é muito criticado pela mídia especializada.

“Ele só está na liga [NFL] por duas temporadas e já conseguiu grandes feitos. Você certamente não o verá na categoria de fraquezas da equipe”, disse o técnico Rex Ryan, que decretou: “Tudo o que conseguimos não significa nada se não vencermos o Steelers.”

Veja também:

link Bears x Packers: rivalidade histórica marca briga por vaga no Super Bowl

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.