Reprodução/Ponte Preta
Reprodução/Ponte Preta

STJD julgará na quinta o recurso da Aparecidense contra a Ponte na Copa do Brasil

Tribunal cancelou o resultado da partida após constatar interferência externa em jogo pela Copa do Brasil

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2019 | 15h54

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) marcou para a próxima quinta-feira, às 16 horas, o 'julgamento final' do recurso da Aparecidense contra a Ponte Preta. O clube goiano entrou com uma Medida Inominada para invalidar o primeiro julgamento, com base nos procedimentos internos do tribunal.

O presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, já negou o pedido de liminar, mas abriu o tema para votação no Pleno do tribunal. Se for novamente negado, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai ter de remarcar o jogo com a Ponte Preta ainda válido pela primeira fase da Copa do Brasil. O placar final foi 1 a 0 a favor do time goiano, mas o jogo acabou cancelado por suposta interferência externa da arbitragem e, segundo decisão do STJD, deve ser remarcado.

Esta é a última cartada da Aparecidense, pelo menos a nível nacional. O clube promete entrar com um pedido na Fifa se não tiver o resultado esperado, e até na Justiça Comum. Esta possibilidade o diretor de competições da CBF, Manoel Flores, praticamente descarta. "Este é um problema que deve ser resolvido na esfera esportiva. E acredito que vai acontecer rapidamente, sem atrapalhar a competição de grande relevância ao futebol nacional", confirmou.

RELEMBRE O CASO - No dia 22 de fevereiro, em sessão itinerante em Fortaleza, o STJD decidiu por cinco votos a quatro a impugnação do jogo, atendendo ao pedido da Ponte Preta após o clube alegar interferência externa na arbitragem no lance capital que ocorreu no final do duelo, que foi a anulação do gol de empate do time paulista.

Desde a decisão, a CBF aguarda um posicionamento para remarcar o jogo, o que depende também do esgotamento dos últimos recursos. No dia 25 de fevereiro, a Aparecidense entrou com um pedido de Medida Inominada baseada nos procedimentos internos do STJD e na troca de Auditores durante a audiência. Dois auditores eram suplentes.

O presidente Paulo César Salomão Filho, porém, considerou frágil a insatisfação e disse que o clube goiano precisava ter comunicado o Pleno do STJD antes do início do julgamento e não ter aguardado a decisão final. Ainda assim, ele abriu a decisão para votação.

Se o recurso for negado, a Ponte Preta mantém a causa ganha e a CBF deve remarcar o jogo já na sexta-feira. A Copa do Brasil já está na terceira fase. Mas, se a Medida Inominada for aceita, a Aparecidense mantém o resultado conquistado em campo, com a vitória por 1 a 0, e avança para o jogo contra o Bragantino-PA, da segunda fase.

O primeiro jogo foi realizado dia 12 de fevereiro no estádio Annibal Batista de Toledo, na cidade Aparecida de Goiânia (GO), cujo gramado sofreu invasão de pessoas estranhas aos 44 minutos do segundo tempo depois do gol de empate da Ponte Preta, marcado por Hugo Cabral, e muito contestado. O gol foi inicialmente confirmado e, depois da pressão da equipe da casa, invalidado. O caso acabou no STJD.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.