Stock Car muda de novo e tenta melhorar o show

Stock Car muda de novo e tenta melhorar o show

Prova inicial da categoria em Interlagos tem carros com motores mais potentes e um novo combustível, o etanol

Karina Cândido, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2010 | 00h00

Se não chover, os pilotos da Stock Car prometem fazer um grande espetáculo para o público que comparecer ao Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, na prova de abertura da 32.ª temporada da categoria. A largada está prevista para as 11 horas. Cacá Bueno é o pole. E os outros quattro primeiros classificados são Átila Abreu, Popó Bueno, Daniel Serra e Allam Khodair.

O carro da Stock passou por algumas mudanças que melhoraram o desempenho. O motor está mais potente ? de 480 cavalos passou para 530 cavalos ?,e foi retirado o carburador para ser colocado injeção eletrônica. O combustível passou de gasolina para etanol e os pneus têm nova composição que proporcionam mais aderência nas curvas.

Diferentemente do ano passado, agora haverá duas paradas para reabastecimento, uma vez que o consumo do etanol é maior que o da gasolina.

Os pilotos aprovaram as mudanças e se dizem, de maneira geral, ansiosos para esta primeira etapa da competição. "O carro está muito bom e rápido, É claro que a competição também fica mais difícil. Quanto mais rápido, mais difícil, mas também mais prazeroso"", disse o paulista Luciano Burti, que corre pela Itaipava Racing Team. "Nas primeiras voltas, já chegamos a virar dois segundos mais rápido em relação ao carro antigo.""

Bicampeão da categoria, o paulista Giuliano Losacco diz que o carro é gostoso de guiar. "No ano passado, fizerem um carro com design mais moderno, mas faltava o motor. Agora está melhor, mais linear", afirmou o piloto da C. Alves/ Mico"s Racing.

Outro fator que dará mais possibilidade de "pegas"" entre os 34 competidores durante as provas será o sistema push to pass, que quando acionado proporciona maior potência ao motor. "Os motores estarão com a potência limitada em 70% na maior parte do tempo e só atingirão os 100% durante 20 segundos quando o botão for acionado no volante, ocasionando o acréscimo de potência de 40 cavalos", explica o engenheiro Thiago Meneghel.

Com isso, as disputas serão bem mais acirradas e emocionantes. Até porque pilotos como Cacá Bueno, Ricardo Mauricio, Giuliano Losacco e David Muffato elevam a competitividade da prova. "A Stock está num nível altamente profissional, não tem bobo e não dá para dizer quem é favorito", alega Losacco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.