Divulgação
Divulgação

Subutilizado, Pacaembu receberá jogos e pode virar casa do rúgbi

Estádio busca alternativas após perder Palmeiras e Corinthians

Estadão Conteúdo

12 de setembro de 2015 | 10h49

Sem jogos oficiais desde 21 de março, o Estádio do Pacaembu perdeu espaço desde que Palmeiras e Corinthians construíram modernas arenas próprias. Subutilizado pelo futebol, o mais tradicional palco do esporte em São Paulo tenta se readaptar à nova realidade. Uma das soluções encontradas foi marcar jogos de rúgbi lá.

Na sexta-feira, a Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu) anunciou que três partidas da seleção brasileira de rúgbi XV (o tradicional, jogado na Copa do Mundo da modalidade) já estão marcadas para o Pacaembu. O primeiro compromisso dos "Tupis" é contra a Alemanha, em 5 de dezembro.

No ano que vem, dois jogos da nova Américas Rugby Cup serão no Pacaembu: contra Estados Unidos em 27 de fevereiro e a aguardada partida diante da Argentina, em 5 de março. "Entrar com o rúgbi em um dos estádios mais tradicionais da cidade de São Paulo é sem dúvida um marco que representará um importante passo para o crescimento do rúgbi no Brasil", afirma Agustin Danza, CEO da CBRu.

Em 2012, o Brasil disputou em São Paulo uma partida das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. O jogo contra o Paraguai foi no Nicolau Alayon, estádio do Nacional, na Zona Oeste da cidade. Nos últimos dois anos, a seleção disputou em casa três partidas do Campeonato Sul-Americano. Uma foi na Arena Barueri, outras duas em Bento Gonçalves (RS).

Ainda longe de conseguir jogar a Copa do Mundo, a seleção brasileira, que mede forças com Chile e Paraguai pelo posto de terceira força da América do Sul, fará dois amistosos contra a Alemanha. Além do Pacaembu, o Brasil jogará em Blumenau (SC), dia 28 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
rúgbiPacaembuCBRu

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.