Sul-africanos vencem mundialito de triatlon

Nem os 34 graus a favor e o apoio da torcida foram suficientes para que os brasileiros conseguissem conquistar o Mundialito de Fast Triatlon realizado neste domingo em Santos. O titulo deste ano na categoria equipe ficou com a África do Sul , seguido por Brasil e Canadá. Já no individual, a vitória foi do canadense Paul Tichelaar, em segundo o sul-africano Hendrix de Villiers, ficando o terceiro lugar para o norte-americano Brian Fleischmann. Virgílio de Castilho foi brasileiro melhor colocado: ficou em quarto lugar.A vitoria por equipes obtida no Brasil foi inédita para a África do Sul, mas bem articulada por eles. Segundo Hendrix , durante toda a prova foi aplicada uma estratégia para que eles ficassem sempre próximos uns aos outros para que no sprint final ele pudesse escapar e dar a conquista ao pais. "Foi a vitoria da equipe e isso foi muito importante".Paul Tichelaar vencedor do individual e que saiu de Edmonton - Canadá - com 40 graus abaixo de zero, ficou surpreso com o resultado que ele conquistou pelo fato de não ser especialista nas três modalidades que estavam em jogo: nado, ciclismo e corrida. "Eu sou especialista em bicicleta e fiquei surpreso com o meu desempenho", afirmou o jovem canadense de 21 anos salientando ainda que ele e Brent McMahon fizeram um treino especifico que ajudou muito. Na segunda bateria Brent foi punido com a perda de dois pontos no ranking final por ter ultrapassado a linha limite do ciclismo.Já os brasileiros, que estão visando uma melhor preparação para as seletivas das Olimpíadas de Atenas 2004, ficaram contentes com o resultado e com o segundo lugar obtido por equipes. "Esse ano não pude focar o fast como nos outros anos, me preparando somente para este durante um mês; ai sofri demais" disse o experiente Leandro Macedo que ficou em 8 lugar no individual.Virgílio de Castilho, o brasileiro melhor colocado na competição, disse que esta edição foi de muitas surpresas com vitoria dos sul-africanos e com uma não boa atuação do norte-americano Brian Fleischanm cuja posição foi 3 no individual. "Nós fomos bem, mas pecamos na primeira e na segunda bateria, daí até pegar no ritmo já era tarde demais", salientando ainda que este ano as equipes estrangeiras vieram mais bem preparadas dificultando um desempenho mais vitorioso para os brasileiros.Quanto a sua vitoria na terceira bateria, Virgílio contou que o apoio da torcida foi fundamental. "Por alguns segundos fiquei para trás e perdi a sintonia, mas no final eu vendi minha alma para vencer".Agora os brasileiros irão concentrar forças para as olimpíadas e, segundo Virgílio, a equipe irá trabalhar duro para tentar um pódio para o Brasil em Atenas. A primeira seletiva olímpica que os atletas brasileiros vão disputar será no Japão, em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.