Sul-coreano é o 5º à sucessão do COI

A disputa pela sucessão do Comitê Olímpico Internacional (COI) dever ser mais acirrada do que previa seu atual presidente, Juan Antonio Samaranch, no poder há duas décadas. Nesta terça-feira mais um candidato, o sul-coreano Un Yong Kim, apresentou oficialmente seu desejo de dirigir o principal orgão esportivo do mundo, conforme comunicado divulgado em Mônaco.Aos 70 anos, Kim é membro da comissão executiva do COI, presidente da Associação Geral das Federações Esportivas e o quinto candidato na briga pela presidência da entidade, que será votada no dia 16 de julho, em Moscou, na Rússia. No escândalo de corrupção sobre a candidatura de Salt Lake City para os Jogos de Inverno de 2002, ocorrido em 1999, ele teve seu nome citado e recebeu ?uma séria advertência? do comitê que hoje pretende presidir.Além de Kim, outros quatro aspirantes já lançaram suas intenções ao sufrágio. São eles: o húngaro Pal Schmitt, ex-campeão olímpico de esgrima; a norte-americana Anita de Frantz, primeira mulher a ocupar a vice-presidência do COI; o belga Jacques Rogge, presidente da Associação Européia dos Comitês Nacionais Olímpicos Europeus e o canadense Dick Pound, presidente da Agência Mundial Antidoping. No próximo dia 10 de abril terminam as inscrições para os candidatos à presidência da entidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.