EFE/LARRY W. SMITH
EFE/LARRY W. SMITH

Super Bowl será transmitido em 50 salas de cinema no Brasil

New England Patriots e Seattle Seahawks já estão no Arizona para a final da NFL; Brady revela que pegou resfriado de Gisele Bündchen

O Estado de S. Paulo

28 de janeiro de 2015 | 18h14

Os fãs do futebol americano vão poder assistir ao Super Bowl 49, entre New England Patriots e Seattle Seahawks, em 50 salas de cinema espalhadas pelo Brasil. A partida será disputada no estádio Universidade de Phoenix e terá início às 21h30 (Brasília). Os ingressos custam R$ 53,63 a inteira e R$ 28,63, a meia-entrada. Para conferir os cinemas participantes clique aqui.

O futebol americano está em crescimento no País. Em três anos, a audiência da decisão do Super Bwol passou de 2 para 3,5 milhões de pessoas pela televisão. Já os jogos da temporada regular tiveram sua exposição de sete horas semanais, em 2006, aumentada para 41 horas semanais em 2014 (ESPN e Esporte Interativo transmitem a NFL no Brasil).

EQUIPES NO ARIZONA

Visivelmente resfriado, Tom Brady, astro dos Patriots, confirmou nesta quarta-feira que contraiu a doença da mulher, a modelo brasileira Gisele Bündchen. "Eu estou assim há uns cinco dias. Meus filhos ficaram doentes e minha mulher está doente agora. Eu infelizmente trouxe isso para Phoenix, mas eu ficarei bem."

Depois de perder para o New York Giants em 2009, o quarterback retorna ao estádio do Arizona Cardinals na luta por seu quarto Super Bowl. Se for campeão vai igualar o recorde de conquistas de Joe Montana e Terry Bradshaw.

Pelo lado dos Seahawks, Marshawn Lynch foi o grande destaque. Alheio aos holofotes, o running back apareceu no centro de imprensa por cinco minutos para cumprir um protocolo contratual de todos os jogadores, mas se limitou a responder as perguntas de forma padrão: "Estou aqui, então não vou ser multado”.

Nesta temporada o jogador já pagou R$ 257.910 mil por não atender à imprensa. Mas este valor sobe para R$ 1.289 milhão no Super Bowl.

Tudo o que sabemos sobre:
NFL, Super Bowl 49

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.