Divulgação/Mowa Press
Divulgação/Mowa Press

Superclássico das Américas é uma chance de ouro para muitos jogadores

Amistoso com a Argentina é uma ótima oportunidade para quem sonha em entrar no grupo de Mano

MATEUS SILVA ALVES, O Estado de S.Paulo

20 de novembro de 2012 | 02h06

SÃO PAULO - A partida de amanhã entre a seleção brasileira e a da Argentina, pomposamente chamada de Superclássico das Américas, está mais para um estorvo no já caótico calendário do futebol do Brasil do que para uma grande decisão. Mas alguns dos jogadores que pisarão no gramado da Bombonera têm motivos para encarar o duelo como uma final de campeonato. Eles sabem que o sonho de disputar a Copa do Mundo de 2014 passa pelo mítico estádio do Boca Juniors.

É evidente que vários dos jogadores chamados por Mano Menezes para o jogo (que deveria ter sido disputado no dia 3 de outubro, mas foi adiado porque faltou luz no precário estádio da cidade de Resistência) jamais voltarão a aparecer em alguma lista elaborada pelo treinador, mas há quem tenha chance real de ser convocado quando a seleção principal se reunir - o que ocorrerá em fevereiro.

Diego Cavalieri e Fred, os dois principais responsáveis pela conquista do título brasileiro pelo Fluminense, estão nesse grupo. A posição de goleiro é uma das que mais dúvidas provocam em Mano, o que pode ajudar Cavalieri. E o centroavante da preferência do gaúcho, Leandro Damião, vive uma fase ruim - e isso favorece Fred.

Os dois jogadores do Flu querem ser levados em conta por Mano nas convocações para os próximos amistosos. E eles sabem que para isso é fundamental jogar bem contra a Argentina.

"Quero passar confiança para o Mano, fazê-lo acreditar mais no meu futebol. E o único jeito de conseguir isso é fazer gols", comentou Fred.

Além da dupla do clube carioca, há outros jogadores que têm chance de entrar no radar de Mano se fizerem a diferença contra a Argentina. Um deles é o atacante Bernard, cantado em verso e prosa como a maior revelação do Brasileiro. Se tiver personalidade para mostrar com a camisa da seleção o que mostra no Atlético-MG, esse jogador rapidíssimo e muito habilidoso pode ser uma opção interessante de ataque para Mano. O volante corintiano Ralf, que já teve chance na seleção, mas foi deixado de lado pelo treinador, também pode ganhar pontos se conseguir proteger bem a defesa na Bombonera - ele tem a vantagem de ser o fiel escudeiro de Paulinho, jogador que conseguiu se firmar como titular da seleção.

Único treino. O volante Arouca, o zagueiro Réver, e o meia Thiago Neves, também têm motivos para lutar muito por uma grande exibição amanhã. Eles têm sido convocados por Mano para os amistosos da equipe principal, mas estão longe de se considerar garantidos no grupo que vai disputar a Copa das Confederações no ano que vem - especialmente Thiago, que jogou mal contra a Colômbia semana passada, e precisa se redimir.

Antes de encarar os argentinos, essa turma toda terá de garantir um lugar entre os titulares. Mano deverá escalar o time hoje, quando a equipe fará no Centro de Treinamento do Corinthians seu único treino para o Superclássico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.