Superliga: Rexona tenta fechar a série

O Rexona/Ades chegou como favorito absoluto ao título da Superliga Feminina de Vôlei e ficou invicto por 32 jogos. Até que caiu diante do Oi Campos, no primeiro jogo da série melhor-de-cinco da semifinal. O time de Bernardinho se recuperou, virou o confronto para 2 a 1 e se vencer neste sábado, às 15h30, chega à final. A partida terá transmissão da SporTV.O jogo é decisivo, mas as atenções estarão voltadas para Bernardinho, que ainda está "batendo boca" com a imprensa. Além disso, o grupo está abalado com a polêmica do doping de Estefânia. O julgamento da atleta foi cancelado e ela aguarda nova punição.Jogando em casa, o Oi Campos tem de vencer para empatar a série e forçar a quinta partida. "Pode ser nosso último suspiro. Em casa a gente acaba jogando mais solta e mais motivada", diz a levantadora Marcelle.Ele pede que seu time desestabilize o passe do Rexona para atrapalhar a levantadora Fernanda Venturini do outro lado da rede. "A chave do jogo é o saque. Temos de sacar muito bem para o passe não chegar perfeito nas mãos dela. Quando ela trabalha com a bola na mão o levantamento é praticamente perfeito", afirma Marcelle.Superliga Masculina - As semifinais, em melhor-de-cinco jogos, começam neste sábado. Telemig/Minas e Wizard/Suzano se enfrentam às 18 horas, em Belo Horizonte.O jovem time de Minas, comandado por Marcos Miranda, teve a melhor campanha da primeira fase. Já o Suzano era um dos favoritos ao título, mas fez uma campanha irregular e foi apenas o quarto colocado na etapa de classificação.O outro finalista sai do confronto entre Banespa e On Line, que se enfrentam domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.