Fabio Motta/ Estado Conteudo
Fabio Motta/ Estado Conteudo

Suposto líder da máfia de ingressos na Copa tem caso arquivado

Raymond Whelan, executivo inglês da Match Services, empresa ligada à FIFA, foi o único entre 12 suspeitos a ter processo finalizado

RONALD LINCOLN JR., Estadão Conteúdo

10 de fevereiro de 2015 | 20h21

O Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ) decidiu arquivar nesta terça-feira a ação penal contra o inglês Raymond Whelan, executivo da Match Services, empresa ligada à FIFA. Whelan era suspeito de liderar um grupo de alcance internacional que comercializava irregularmente ingressos para a Copa do Mundo de 2014. No ano passado, ele chegou a ser preso no Rio, mas, dias depois, recebeu um habeas corpus e foi liberado.

A decisão desta terça foi tomada pelos desembargadores Fernando Antonio de Almeida e Luiz Noronha Dantas, da 6ª Câmara Criminal do TJRJ. O despacho não se aplica aos demais suspeitos, que continuam com o processo em andamento. A assessoria do TJ afirmou que o processo corre em segredo de Justiça e por isso não quis divulgar detalhes.

Durante a Copa do Mundo do ano passado, a Polícia Civil do Rio realizou a operação Jules Rimet, que visava desarticular esquema internacional de venda ilegal de bilhetes para o jogos da competição. Na ocasião, foram indiciados 12 suspeitos. Entre eles, Raymond Whelan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.