Surfe: catarinense vence em Ubatuba

?Demorou, mas chegou." Foi com essa frase que o catarinense Andreas Eduardo definiu seu primeiro título em uma etapa do SuperSurf, Campeonato Brasileiro da modalidade. Aos 24 anos, jamais havia chegado a uma final de etapa na competição. Neste domingo, na Praia de Itamambuca, em Ubatuba, após ser cumprimentado pelos amigos e fãs, desabafou: "Pôxa, eu não passava de 17º - foi assim nos últimos dois anos. Estou há três anos correndo atrás disso. Minha melhor participação foi um nono lugar em uma etapa que eu nem me lembro." Com o título, o catarinense saiu da 24ª posição e assumiu a liderança da competição, com 1800 pontos. O vice-campeão da etapa foi Maicon Rosa, que com o resultado também assumiu a liderança da competição, apenas dez pontos atrás de Andreas - o melhor resultado do catarinense havia sido o vice-campeoanto catarinense, em 1998. Quando perdeu, Maicon saiu da água sem conversar com ninguém - atitude típica de seu irmão, Peterson Rosa, tricampeão brasileiro e apelidado de Bronco. "Saí com uma note 9,5, mas o Andréas conseguiu pegar duas notas medianas, de 7, e não consegui pegar uma depois", lamentou Maicon. Os terceiros colocados foram Pedro Norberto, de Santa Catarina, e Joca Júnior, do Rio Grande do Norte. "O difícil não é a final, mas chegar até ela. Temos os 48 melhores atletas do país competindo, e se cair em uma repescagem, por exemplo, é muito difícil recuperar. Nessa final, tive sorte porque o mar estava difícil, mas consegui pegar minhas ondas", disse Andreas. "Ganhar em Ubatuba é muito bom, tenho muitos amigos e vou comemorar com eles", emendou. O atleta ganhou R$ 15 mil pela primeira colocação na etapa. Os planos do atleta são a preparação para a próxima fase da competição, em Saquarema, no final deste mês. "Depois vou viajar para a Europa, onde vou disputar o WQS (World Qualifying Series, segunda divisão do surfe mundial). Mas não sei onde nem quando, preciso ver no calendário", disse, ainda desnorteado com a vitória. Andréa Lopes bate Jaqueline Silva entre as mulheres, a carioca Andréa Lopes confirmou no favoritismo e chegou a mais uma final. A atleta, líder do ranking com 2.860 pontos, não deixou de participar de nenhuma das três finais já realizadas. Neste domingo, bateu a catarinense Jaqueline Silva, atual campeã do WQS. Na primeira etapa, em Maresias, Andréa bateu Viviane Maria; na segunda, em Itacaré, perdeu de Tita Tavares. "A Jaque é uma das minhas adversárias mais difíceis. Na bateria, olhei para ela e disse: ´Amiga, não vou mais olhar para você a partir de agora.´ Usei da minha frieza. A Tita, por exemplo, é considerada a melhor do Brasil, mas acho que não é só surfar, é preciso usar a cabeça", disse Andrea, que venceu apenas na última onda - precisava tirar 4.41 pontos e tirou 4.80. "Tinha certeza que tinha vencido, mas comemorei baixinho porque os juízes são muito subjetivos. De qualquer forma, o título é um reflexo da minha alegria e quero muito passar energia para essas pessoas." Na terceira colocação ficaram a carioca Brigitte Mayer e a potiguar Viviane Maria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.