Surfista brasileiro é impedido de entrar nos Estados Unidos

O surfista brasileiro Jihad Kohdr foi impedido de entrar nos Estados Unidos, onde iria disputar etapa do WQS, a segunda divisão do surfe mundial. Ele não estava com o visto correto e acabou barrado no aeroporto de Dallas na terça-feira. De volta ao País, sua luta agora é para tentar retornar aos EUA para disputar competição que começa na sexta, no Havaí.Atual campeão brasileiro de surfe, Jihad é muçulmano. O problema é que ele estava com o visto de turista quando o correto seria ter o de trabalho, já que iria disputar uma competição nos EUA. Barrado no aeroporto de Dallas, durante a escala de seu vôo até o Havaí, o surfista não conseguiu entrar no país, depois de várias entrevistas na alfândega, e acabou sendo extraditado, tendo seu visto de turista cancelado.O problema é que Jihad já tinha cometido o mesmo erro em 2002, quando tentou entrar nos EUA com visto de turista. Mas, na ocasião, o caso foi resolvido no próprio aeroporto, na Califórnia, e ele pôde competir.?O Jihad tinha visto de turista até 2009 e tinha me falado que um dia ia ser barrado de novo se viajasse com visto de turista, mas este foi um ano atribulado, atípico, acabei vacilando em não tirar seu visto de negócios como é correto?, reconheceu o empresário do surfista, Rodrigo Baptista.Agora, com a ajuda do governo brasileiro, Jihad tenta tirar um visto de trabalho o mais rápido possível para poder voltar ao Havaí e competir na etapa do WQS.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.