Reprodução
Reprodução

Surfista é atacado por moradores com tacos e garrafas nas Filipinas

Australianos Brent Symes e agressores contam versões diferentes

O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2015 | 18h13

O australiano Brent Symes passou por maus momentos quando deixava o mar, na ilha de Siargao, nas Filipinas, e foi agredido por cinco homens armados com tacos e garrafas. O surfista teria desrespeitado uma ordem de deixar a água e atrapalhado a disputa de etapa do QS 1500.

Especialista em ondas gigantes, Symes teria ficado surfando junto com os competidores durante 30 minutos, até sair da água. O local Dencio Dizon disse ao site Surfing Life que as agressões foram resultado do desrespeito do australiano após todos os outros free surfers deixarem a área de competição. "Ele estava com os finalistas pegando ondas." 

Em sua defesa, Symes diz que tinha autorização da organização do evento para acompanhar a disputa da água. "Eu tive permissão garantida para ficar na água como um espectador durante a bateria final. Durante a bateria, vi que não estava no lugar certo e peguei uma onda para não ficar no caminho dos competidores", contou ao site especializado no esporte The Intertia.

Mesmo em desvantagem numérica, o australiano conseguiu se defender do ataque e sofreu apenas um corte no pé. Após o acidente, Symes ficou três dias isolado em um quarto com medo de represálias.

Tudo o que sabemos sobre:
Surfe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.