Reprodução/FAcebook
Reprodução/FAcebook

Surfista morto após prática de ioga recebe homenagem no Rio

Arpoador Surf Club reúne amigos de Filipe Fairich na Praia do Diabo para um último adeus ao parceiro que quebrou o pescoço em Belize

O Estado de S. Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 10h03

 Uma roda de oração com pranchas encravadas na areia e depois todo mundo na água para lembrar o que o amigo mais gostava de fazer, que era quebrar ondas. Desta maneira, rápida e comovente na Praia do Tombo, no Arpoador, vários surfistas fizeram uma última homenagem ao companheiro Filipe Fairich, que morreu de forma inusitada no sábado, no Belize, onde morava.

Filipe praticava ioga quando acabou fraturando o pescoço. Ele foi encontrado morto em sua residência pela namorada, que é do pequeno país da América Central. O capixaba que morou no Rio adorava surfar na Barra da Tijuca e fazia parte do Arpoador Surf Club, responsável por organizar e prestar a última homenagem a um de seus sócios.

Apontado como "talentoso e carismático surfista", Filipe Fairich era um amante das ondas e também do skate. Estava morando no Belize, mas não escondia a vontade de sempre vir surfar com os amigos no Brasil.

 


Tudo o que sabemos sobre:
surfeFilipe Fairichpraia do diabo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.