Surfista potiguar transforma praia em estádio de futebol

Jadson André tornou-se o único brasileiro classificado para as quartas de final da terceira etapa do circuito mundial

GIULIANDER CARPES, O Estado de S. Paulo

28 de abril de 2010 | 20h49

Kirstin Scholtz/AP

Manobras aéreas de Jadson André entusiamaram a torcida nas areias da Praia da Vila, em Imbituba (SC)

Imbituba (SC) - Jadson André transformou a Praia da Vila, em Imbituba, em um estádio de futebol. O brasileiro bateu o australiano Luke Munro (16,83 contra 10,83) com uma atuação espetacular e tornou-se o único brasileiro classificado para as quartas de final da terceira etapa do circuito mundial. A melhor exibição de todo o campeonato em Imbituba levantou a torcida, que comemorava a cada grande manobra.

"Fiz uma bateria alucinante, com altas ondas bem do jeito que gosto", comemorou o brasileiro, 20 anos, que nasceu em Natal, mas mora e treina no Guarujá. "Sem dúvida foi uma das melhores baterias que já fiz na minha vida. Agora é continuar me divertindo"

O potiguar simplesmente incendiou a praia. As suas manobras aéreas - foram cinco durante toda a bateria - resultavam em gritos entusiasmados vindos da areia. Depois do show, tornou-se o atleta mais assediado do dia, dando mais autógrafos até do que Kelly Slater, nove vezes campeão mundial.

"Parece um estádio de futebol mesmo. Sempre vou assistir aos jogos e fico imaginando como os jogadores se sentem com aquela galera gritando. Hoje pude ter este gostinho", disse Jadson, que já conquistou seu melhor resultado na carreira - antes era uma nona colocação em Bells Beach, na Austrália, no início do mês. "Foi uma das melhores sensações que já tive na vida. Ainda mais no Brasil que todo mundo agora vai estar torcendo por mim."

Adriano de Souza, o brasileiro com melhor ranking (6.º) no circuito, também deu bons aéreos, mas não teve a mesma sorte. Além de ter encontrado um inspirado Dane Reynolds pela frente, também foi prejudicado pelos juízes. Mesmo numa onda em que fez pelo menos duas manobras radicais no ar, não conseguiu ganhar mais do que um 6,17. "Não dá pra ficar reclamando muito. Achei que poderia ter sido um pouco melhor avaliado, mas talvez nem fosse suficiente para ganhar a bateria", conformou-se o paulista.

Dia de zebras em Imbituba. Além de Jadson e Reynolds, outros dois surfistas já estão classificados para as quartas de final do campeonato. O taitiano Michel Bourez enfrenta o brasileiro depois de protagonizar outra das zebras que caracterizaram o dia de ótimas ondas - passou por Joel Parkinson, atual vice-campeão mundial. Já o americano C.J. Hobgood mandou para casa o sul-africano Travis Logie, que mais cedo havia eliminado o atual líder do ranking mundial Taj Burrow.

As oitavas de final serão completadas no início da manhã desta quinta-feira (hoje para o jornal) antes das baterias que definirão os quatro semifinalistas. Destaque para os campeões mundiais Mick Fanning e Kelly Slater, que ainda estão bem vivos na disputa e com chances de tomar a liderança do ranking de Taj Burrow.

PRÓXIMAS BATERIAS:

Oitavas de final

Mick Fanning (AUS) x Taylor Knox (EUA)

Owen Wright (AUS) x Jeremy Flores (FRA)

Kelly Slater (EUA) x Chris Davidson (AUS)

Jordy Smith (AFR) x Roy Powers (HAV)

Quartas de final já definidas

Jadson André (BRA) x Michel Bourez (TAI)

Dane Reynolds (EUA) x C.J. Hobgood

Tudo o que sabemos sobre:
surfeJadson AndréImbituba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.