Suspeito de acobertar doping, braço direito do presidente da IAAF pede demissão

Nick Davies, braço direito do presidente da Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF), Sebastian Coe, pediu demissão de seu cargo nesta terça-feira. Ele é um dos investigados na entidade de tentar acobertar os casos de doping que envolvem a Federação Russa de Atletismo.

Estadão Conteúdo

22 de dezembro de 2015 | 18h29

Uma reportagem do jornal francês Le Monde divulgou um e-mail na segunda-feira entre Davies e Papa Massata Diack, filho do ex-presidente Lamine Diack, afastado por corrupção. A mensagem, enviada às vésperas do Mundial de Atletismo de Moscou de 2013, mostra que ele tinha a intenção de ocultar os casos.

Em comunicado nesta terça, Davies diz: "Para demonstrar que eu estou colaborando para investigação sobre as alegações de que fui antiético em 2013, eu entreguei os e-mails que se referem ao caso para o Conselho de Ética da IAAF", informou. "Decidi me afastar do meu cargo para permitir que a IAAF decida se sou responsável por qualquer violação", completou.

O conteúdo de um dos e-mails teria um plano para manter ocultos nomes de atletas russos pegos no doping. Davies teria escrito que necessitava sentar-se com os responsáveis pela luta antidoping para manter "os mortos russos dentro do armário". "Se os culpados não competirem, podemos esperar a conclusão do evento para divulgarmos os nomes", escreveu.

O dirigentes fazem parte de um grande escândalo de doping que estourou em 2015 no atletismo e culminou na suspensão da Federação Russa de Atletismo de competições internacionais. O ex-presidente da IAAF, Lamine Diack, de 82 anos, que deixou o cargo em agosto deste ano, após ocupar o cargo por 16 anos, também está sendo investigado.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoIAAFNick Davies

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.