Taça Libertadores

Corinthians vai à Bombonera, empata com o Boca Juniors e ganha moral para a batalha do Pacaembu. Romarinho sai do banco e vira herói

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h06

O Corinthians ficou ontem um pouco mais perto do inédito título da Libertadores ao arrancar um empate por 1 a 1 com o Boca Juniors em pleno caldeirão de La Bombonera, tomado por uma fanática torcida argentina, que não parou de incentivar o time e pressionar os brasileiros por um só minuto.

O grande herói corintiano, desta vez, foi Romarinho, um garoto de 21 anos, recém-chegado, que entrou em campo na etapa final, quando o time perdia por 1 a 0 e, no primeiro toque na bola, tirou do goleiro Orión para empatar a partida, aos 40 minutos do segundo tempo - o Boca marcara aos 27, com Roncaglia. "Brilhou minha estrela'', disse o atacante.

Na próxima quarta-feira, num Pacaembu que certamente estará tomado pela Fiel, o Corinthians pode fazer história, conquistando o mais importante título de seus 101 anos.

Se vencer o Boca em casa, será campeão invicto. Novo empate, por qualquer placar, leva a decisão para a prorrogação, que pode ser seguida de disputa por pênaltis. Isso porque, na Libertadores, na decisão não há a vantagem do gol marcado fora de casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.