Tae kwon do cancela seletiva e tira Falavigna da seleção

A Confederação Brasileira de Tae Kwon Do decidiu mudar as regras para a definição dos atletas que terão apoio dela no restante do ano. Com isso, Natália Falavigna, campeã mundial em 2005 e medalhista de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, está definitivamente fora da seleção em 2014. Por outro lado, Diogo Silva passou de alijado do processo a atleta do Plano Brasil Medalhas.

AE, Agência Estado

17 de março de 2014 | 15h41

Inicialmente a proposta da CBTKD era realizar duas seletivas. A primeira, em Vitória (ES), apontou titular e reserva de oito categorias no masculino e outras oito no feminino. Natália Falavigna ficou como reserva na até 73kg (ela acertou um soco no rosto da rival na final, segundo ela sem querer, mas foi desclassificada por isso). Diogo Silva foi eliminado na semifinal da até 68kg.

A promessa era que, todos os atletas que ficaram entre os quatro primeiros de suas categorias nesta seletiva lutariam, num evento futuro, para formar a seleção brasileira de oito atletas para competições que valem para o ranking olímpico. No Rio, serão disputadas apenas quatro categorias no masculino e quatro no feminino.

Essa seletiva não acontecerá mais, pelo que informou a CBTKD nesta segunda. Tudo porque, segundo a mesma, a modalidade vai ser contemplada no Plano Brasil Medalhas, do governo federal. Guilherme Dias, Guilherme Felix, Diogo Silva, Marcio Wenceslau, Iris Tang Sing e Julia Vasconcelos, por estarem entre os 20 melhores do ranking mundial nas suas categorias, receberão Bolsa Pódio. Desses, só Guilherme Dias, Iris e Julia venceram a seletiva nacional.

Pelo Plano Brasil Medalhas, esses atletas terão direito a uma bolsa mensal, direito de participar de um amplo leque de competições internacionais, comissão técnica, equipamentos. Enfim, estrutura que permita a eles chegar a uma medalha em 2016.

Também foram apontados os atletas que vão receber patrocínio da Petrobrás: oito dos titulares definidos na seletiva de Vitória, os melhores posicionados no ranking mundial. Eles receberão ajuda de custo e competirão internacionalmente bancados pela CBTKD, com recursos da Petrobrás. Os demais titulares ganharão uma ajuda de custo, bancada pelo caixa da CBTKD.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.