Tamanduá será mascote dos Jogos

O tamanduá-bandeira será o mascote dos VII Jogos Sul-Americanos Brasil 2002, que serão realizados no Rio de Janeiro, São Paulo, Belém e Curitiba, no período de 1º a 11 de agosto, segundo anúncio feito nesta terça-feira pelo presidente do Comiê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman. Segundo ele, a escolha se baseou nas características doanimal e na mensagem de alerta que o evento pretende propagar sobre o riscode sua extinção. O nome do mascote será decidido em votação popular, a partir da próxima segunda-feira, dia 20, quando entra no ar o site dos Jogos Sul-Americanos www.Brasil2002.org.br). Além do mascote, o COB apresentou também a logomarca do evento.O COB informou ainda que até o momento, 13 países se inscreveram para os Jogos: Antilhas Holandesas, Argentina, Aruba, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Panamá, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela. Na reunião da Odesur, no dia 21, será aprovado o calendário de competição dos Jogos. Algumas modalidades estão ameaçadas de não serem realizadas por falta de quórum mínimo. A Odesur exige um mínimo de quatro países inscritospor modalidade. Apenas o Brasil se inscreveu no Pólo Aquático e SaltosOrnamentais, modalidades que devem sair do programa dos Jogos. Na GRD, acompetição de Conjunto não deve ser realizada, uma vez que apenas o Brasilfez a sua inscrição, o mesmo acontecendo com Nado Sincronizado. No Softbol eno Esqui Aquático, apenas três países se inscreveram. Estes esportes estãodependendo da inscrição da Guyana para garantirem a participação nos JogosSul-Americanos. Mesmo sem a inscrição da Guyana e da Colômbia, já são 2.749 pessoasinscritas nos Jogos, sendo 1.986 atletas. O Brasil não organizava umacompetição internacional deste porte desde os Jogos Pan-Americanos de SãoPaulo e a Universíade de Porto Alegre, ambos em 1963. A maior delegaçãoinscrita é a do Brasil, com 606 pessoas, sendo 471 atletas. Em seguida vem aArgentina (385 inscritos e 294 atletas), Venezuela (338 e 240) e Chile (309e 223). A secretária municipal de Esportes, Lazer e Recreação de São Paulo, Nádia Campeão, afirmou que a cidade não terá problemas para organizaros Jogos. ?Tínhamos condições de ficar ainda com o judô e o tae kwon do, mas a divisão está razoável. Não tenho idéia de quanto iremos gastar, mas o Ministério do Esporte e Lazer liberou R$ 4 milhões para as cidades-sedes dividirem?, disse a secretária. Todos os municípios terão que arcar com as despesas de hospedagem, alimentação e transporte das delegações. Boliche, golfe, esquiaquático, levantamento de peso, karatê, patinação, softbol, tênis, tênis de mesa e tiro esportivo são as modalidades que ficarão na cidade paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.