Tardelli brilha e faz 3, mas Santos festeja derrota

Santistas perdiam por 3 a 1 do Atlético-MG, mas marcam no fim, reduzem o prejuízo e dependem, agora, de vitória simples

Bruno Deiro, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2010 | 00h00

Os Meninos da Vila mostraram maturidade ontem e saíram "vivos" do Mineirão em duelo complicado com o Atlético, pela Copa do Brasil. A quarta derrota no ano (3 a 2) foi o menor dos males para o Santos, que por duas vezes chegou a estar perdendo por dois de diferença. Mas reagiu e precisa de uma vitória simples em casa para ir às semifinais.

Vanderlei Luxemburgo, que treinou o time santista até o fim do ano passado, não colocou o Atlético no ataque, apesar de ter um estádio lotado a seu favor. Esperou o Santos em seu campo e contou com o oportunismo de Diego Tardelli, que fez os três gols dos mineiros. Mas Robinho e Edu Dracena também marcaram e mantiveram a equipe de Dorival Júnior com boas chances de classificação.

"Este resultado teve uma importância muito grande, o gol na hora certa", disse Paulo Henrique Ganso, aliviado com o gol de Edu Dracena a oito minutos do fim. "Até podíamos ter saído com um empate, mas temos totais condições de buscar a vitória por 1 a 0 na Vila."

Sem Neymar, Dorival Júnior colocou no ataque a dupla Robinho e André, destaque no primeiro jogo da final do Paulista. Desta vez, porém, André não conseguiu desempenhar um bom papel, enquanto Robinho lutou bastante no meio da zaga mineira e teve a boa atuação recompensada com um gol.

Ritmo intenso. O Santos começou no ataque, mas teve pouco tempo para tentar segurar a pressão mineira. Com menos de três minutos, Carlos Alberto pegou mal na bola, mas Diego Tardelli se antecipou à marcação de Edu Dracena para abrir o placar. O time santista reagiu bem ao gol sofrido e se manteve no controle do jogo, mas não conseguiu aproveitar as boas chances.

Aos 40, a falta de eficiência foi punida com outro lance de oportunismo de Tardelli. Em cruzamento da esquerda, o atacante atleticano se antecipou novamente à zaga santista e chutou duas vezes para vencer o goleiro Felipe e ampliar. Enquanto a torcida mineira ainda fazia a festa, o Santos encontrou forças para diminuir. Robinho foi lançado por Wesley no meio da área e tirou do goleiro Aranha.

O time santista foi confiante para o intervalo, mas logo aos 7 da etapa final Tardelli foi outra vez implacável. O atacante recebeu no meio, invadiu a área e tirou de Felipe para fazer o terceiro. Após o gol, o Atlético se retraiu e o Santos martelou até conseguir marcar, com Edu Dracena, aos 38. "Fomos batidos, reconhecemos a derrota. Mas buscamos o gol em todos os momentos, não fugindo à característica que estamos mostrando este ano", disse Dorival Júnior.

Neymar, que hoje volta aos treinos após sofrer uma lesão no olho, deve voltar ao Santos para o jogo de domingo, na final do Paulista, contra o Santo André.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.