Tática do Palmeiras: chutão para o ataque

Sem criatividade no meio, time deve atuar retrancado, nos contragolpes

Bruno Deiro, O Estadao de S.Paulo

25 de outubro de 2008 | 00h00

O Palmeiras que pega o Fluminense hoje no Maracanã depende como nunca do oportunismo de Alex Mineiro e da raça de Kléber. Com a ausência de Diego Souza e Leó Lima, o setor de criação fica concentrado nos pés do reserva Evandro e de três jogadores que têm no desarme a principal virtude.Em um time defensivo, escalado com os volantes Martinez, Sandro Silva e Pierre, os contra-ataques e jogadas de bola parada devem ser os trunfos dos palmeirenses. Evandro, que chegou em junho vindo do Goiás, tem a chance de mostrar serviço. O meia foi apresentado como substituto do chileno Valdivia, mas ainda não conseguiu firmar-se na equipe. Na lateral-direita, a novidade pode ser a entrada de Fabinho Capixaba, que disputa com Jumar a vaga deixada por Élder Granja, lesionado. Durante a partida, Lenny e Denílson são as opções do técnico Vanderlei Luxemburgo para dar velocidade ao ataque. Invicto há seis partidas, o Palmeiras quer voltar a vencer fora de casa. A última vez em que conseguiu três pontos longe do Palestra Itália foi quando bateu o Cruzeiro por 1 a 0 no Mineirão, na 25ª rodada. De lá pra cá, foram dois empates sem gols, com Náutico e Figueirense. Com 6 derrotas, o Palmeiras só perde para o Cruzeiro (7) como pior visitante entre os cinco times que disputam o título em 2008. Para tentar a quinta vitória fora, Luxemburgo diz que tem pela frente uma partida complicada pela posição do adversário. "Não tem jogo fácil, todos os times estão brigando por alguma coisa. A única equipe em situação confortável é o Sport, que já está na Libertadores". FLU EMPOLGADONo Fluminense, o único desfalque é o volante Romeu, com uma lesão na perna esquerda. O goleiro Fernando Henrique, que machucou a mão direita e chegou a ser dúvida durante a semana, está confirmado. O Tricolor das Laranjeiras venceu apenas sete jogos na competição e ocupa a 17ª posição, um ponto à frente do Vasco. A vitória do rival por 4 a 2 sobre o Goiás, no Serra Dourada, acirrou a disputa entre os cariocas para fugir do descenso. A chegada do técnico Renê Simões, há duas rodadas, parece ter dado um novo ânimo à equipe. O treinador comandará o time pela primeira vez diante de sua torcida , após conquistar quatro pontos fora de casa. Em sua estréia, bateu por 3 a 1 o Atlético-PR, adversário direto, em plena Arena da Baixada. Na última rodada, foi buscar um empate por 2 a 2 com o Vitória, na Bahia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.