TCU apura irregularidades em obra da Vila Pan-Americana

O Tribunal de Contas da União (TCU) anunciou, ontem, que vai instaurar tomada de contas especiais (uma espécie de auditoria) para apurar indícios de irregularidades no contrato entre o Ministério do Esporte e a Fast Engenharia, responsável pela construção da estrutura temporária da Vila Pan-Americana dos Jogos do Rio, em 2007.O TCU convocará Gonçalves e Rafael Barbosa, da secretaria executiva da pasta, para que justifiquem a celebração do convênio por valor superior ao orçado, alteração da programação de execução e não verificação dos objetos do contrato.Luiz Custódio Orro Freitas e Ricardo Leyser Gonçalves, envolvidos na execução do contrato entre o Ministério e a Fast, terão de apresentar defesa ou devolver R$ 22.454.151,33 em 15 dias. Vale recurso. O TCU também apontou possíveis erros na aplicação do convênio entre a pasta e o governo do Rio.O Ministério do Esporte informou que "os questionamentos feitos pelo TCU serão devidamente esclarecidos", porém não antecipou as justificativas. A pasta já bloqueou os recursos destinados ao pagamento dos contratos investigados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.