AP
AP

Técnico do Brasil no futsal vê Espanha melhor do mundo

BANGCOC - O técnico Marcos Sorato afirmou que a Espanha, rival do Brasil na final do Mundial de Futsal, neste domingo, às 10h30 (de Brasília), hoje tem a melhor seleção do planeta na modalidade. O treinador da seleção brasileira rasgou elogios ao adversário, embora o time nacional hoje defenda a condição de atual campeão do mundo.

AE, Agência Estado

17 de novembro de 2012 | 12h34

"Acredito que a Espanha é a melhor seleção do mundo no momento, não vejo praticamente nenhum defeito nela. Eles são muito respeitados porque são bons em tudo: ataque, defesa, bola parada. Além disso, têm jogadores capazes de desequilibrar a qualquer momento. Atualmente, é a equipe mais completa, mas tudo pode acontecer na final", disse o comandante, em entrevista ao site oficial da Fifa, publicada neste sábado.

Sorato também admitiu que o Brasil ainda precisa evoluir na parte defensiva, apesar de ter chegado à final do Mundial com seis vitórias consecutivas. O treinador, porém, lembrou que a sua equipe conseguiu se impor nos momentos decisivos ao longo da competição.

Ao ser questionado sobre quais são as maiores virtudes da seleção brasileira, ele respondeu: "Conseguir estar à altura das expectativas das pessoas em um torneio com jogos de eliminação direta, nos quais você não pode falhar. Os jogadores brasileiros são sempre talentosos, mas temos trabalhado para melhorar nossa defesa e, assim, sermos bons em todos os setores".

O comandante brasileiro ainda lembrou que a heroica virada sobre a Argentina, que chegou a estar ganhando por 2 a 0 até quando faltavam sete minutos para o término do tempo normal, provou que o Brasil está pronto para derrotar qualquer adversário. "Aquela virada foi crucial, porque demonstrou a capacidade de reação da equipe. Ali eu tive a certeza de que estávamos prontos para enfrentar qualquer desafio que viesse pela frente", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.