Técnico do Uruguai minimiza falta de apoio da torcida

O técnico Óscar Tabárez, do Uruguai, minimizou o fato de sua seleção não ter tido a preferência do torcedor baiano diante da Nigéria, em Salvador, na vitória por 2 a 1, na última quinta-feira. As pessoas presentes ao estádio apoiaram os africanos em sua maioria e ele sabe que, diante do Taiti, em Recife, dificilmente contará com a força da massa.

PAULO FÁVERO, Agência Estado

21 de junho de 2013 | 12h17

De qualquer maneira, ele acha que isso acaba sendo uma característica de sua equipe. "Talvez não sejamos uma equipe muito simpática, dizem que somos os desmancha-prazeres e encaramos isso como um elogio. Mas não é uma coisa que dá para explicar, nem para criticar. Sei que nas arquibancadas eram brasileiros e quem sabe nas semifinais tenham mais preferência ainda para a outra equipe", disse.

O treinador festejou a vitória sobre a Nigéria que praticamente encaminhou a classificação da seleção uruguaia para a próxima fase, pois na última rodada o rival será o fraco Taiti, goleado duas vezes no torneio. "Estudamos a Nigéria. Sabíamos que não podíamos entrar na correria, pois ele são difíceis de controlar. Creio que defendemos bem e anulamos seus principais jogadores. Eles lutaram até o último momento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.