Divulgação /CBHb
Divulgação /CBHb

Técnico exalta desempenho do Brasil no handebol feminino após amistosos

Espanhol Jorge Dueñas registra um empate e uma derrota para a França

Estadão Conteúdo

02 Outubro 2017 | 19h38

O técnico espanhol Jorge Dueñas exaltou o desempenho da seleção brasileira feminina de handebol após estrear no comando do time em dois amistosos contra a França, atual vice-campeã olímpica, na Europa. O treinador, que mesclou atletas já experimentadas com outras de uma nova safra, começa a preparar a equipe que disputará o Mundial da Alemanha, marcado para dezembro.

+ Seleção feminina de handebol perde da França na estreia de treinador

"O resultado foi positivo porque contamos com muitas atletas jovens e com menos experiência. Pensamos que, com a chegada das novas jogadoras, podemos ter um bom nível e, para o futuro, temos que pensar em incorporar novas atletas. Em resumo, foi uma semana muito positiva, na qual as jogadoras tiveram muita disposição para entender um pouco os conceitos que queremos trabalhar, pensando no futuro e no Mundial deste ano", avaliou o treinador em entrevista nesta segunda-feira.

Jorge Dueñas observou diferenças nos dois confrontos entre francesas e brasileiras, realizados na semana passada. No primeiro embate, o Brasil foi superado pelas adversárias por 23 a 21, No segundo jogo, as brasileiras tiveram um desempenho melhor e houve empate em 22 a 22. "Os dois jogos contra a França foram diferentes. Na sexta, tivemos um pouco mais de imprecisões, mas, no domingo, a seleção esteve com uma defesa muito boa e com bom ataque para poder empatar com a França", complementou o técnico.

O Mundial da Alemanha terá 24 participantes espalhados em seis cidades-sede: Berlim, Flensburg, Wetzlar, Stuttgart, Leipzig e Colônia. A campeã da edição passada, disputada na Dinamarca, em 2015, foi a Noruega, que bateu a Holanda na final. O Brasil tem um título, conquistado em 2013, em uma decisão contra a Sérvia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.