Técnico garante Érika e Iziane na estreia do Mundial

O cansaço da temporada disputada até o último minuto não será empecilho para que a pivô Érika e a ala Iziane estejam em quadra amanhã, contra a Coreia do Sul, na estreia do Brasil no Mundial Feminino de Basquete - o jogo começa às 10h15 (de Brasília), em Brno, na República Checa.

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

22 de setembro de 2010 | 00h00

"Elas são jogadoras importantes desde o primeiro minuto", admitiu o técnico Carlos Colinas, logo depois do primeiro treino da seleção na Universidade Masarykova - uma hora de trabalho tático em quadra e outros 60 minutos passados na academia.

Antes da estreia, Érika e Iziane terão apenas três treinos para se entrosarem com as companheiras - o primeiro foi realizado ontem; hoje, trabalham em dois períodos. "Elas estão muito animadas, com vontade de voltar a jogar pelo Brasil. Mas estão conscientes, assim como eu, de que é complicado chegar e, em dois dias, se adaptar a uma equipe que está trabalhando junta há quase três meses."

Apesar do cansaço das atletas, Colinas diz que não poderia poupá-las, já que o entrosamento só virá se estiverem em quadra. "Acho que isso vai facilitar a adaptação em detalhes do nosso jogo."

Tanto Érika quanto Iziane chegaram longe com seus times, seja na Europa ou na WNBA. Na Liga Americana, disputaram a final pelo Atlanta Dream até quinta-feira passada e se apresentaram à seleção no domingo.

Outro problema para o arranjo em quadra é o tempo de afastamento das jogadoras. Érika, por problemas físicos ou de calendário, não atua pela seleção desde o Mundial de 2006. Iziane está fora há mais de dois anos, quando foi cortada do Pré-Olímpico, em 2008. Ela se recusou a entrar no jogo contra a Bielo-Rússia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.