Técnico muda de opinião e apela para as improvisações

Quando foi apresentado em 19 de fevereiro, Antônio Carlos deixou bem claro que não faria improvisações no Palmeiras. Mas quem olha a escalação do time hoje pode estranhar. Diego Souza no ataque? Figueroa no meio de campo? Márcio Araújo na direita? Para o treinador, tudo está normal.

, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

"Não é surpresa para ninguém que o Figueroa atuava no meio quando foi contratado. Ele sempre fez esta função no Chile", explicou. "Não considero nenhuma das alterações como improvisação. O Márcio Araújo é melhor na função defensiva do que o Figueroa e o Eduardo."

No discurso inicial, o Palmeiras jogaria com apenas um atacante: Robert. "Vamos atuar praticamente com dois meias, o Diego e o Lincoln", disse o técnico, para depois acrescentar: "Mas os dois vão se alternar no ataque." / D.A.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.