Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Técnico pede para Zanetti esquecer 'glamour' da Olimpíada

Brasileiro é um dos favoritos ao ouro na prova de argolas da ginástica masculina

AE, Agência Estado

27 de julho de 2012 | 11h04

LONDRES - A evolução de Arthur Zanetti ao longo da temporada pode ser facilmente medida pelas suas notas nas argolas. O ginasta brasileiro foi campeão no Pré-Olímpico, em janeiro com 15.533, fez 15.600 e 15.875 em duas etapas da Copa do Mundo em abril e, dois meses depois, na Bélgica, marcou 15.925. Com isso, ele superou a nota do chinês Ybing Chen, campeão mundial com 15.800 no ano passado, e se tornou favorito ao ouro em Londres.

Em teoria, bastaria Zanetti fazer tudo que sabe para garantir lugar mais alto do pódio na Olimpíada. Por isso, o seu técnico, Marcos Coto, cobra que o atleta não se deixe vislumbrar com o clima olímpico. "Estamos conversando bastante sobre cada momento dentro da Olimpíada e eu pedi para ele tentar esquecer o glamour dos Jogos e encarar como se fosse mais uma etapa de Copa do Mundo."

O treinador também pede que Zanetti respeite os adversários pelo ouro olímpico. "Estamos nos Jogos Olímpicos. Não há ninguém despreparado ou fraco. Todos os especialistas das argolas são candidatos a subir no pódio", apostou o Goto, que confia no seu pupilo. "Posso falar pelo meu atleta: ele está muito bem preparado."

Se Zanetti já convive com o favoritismo em sua primeira Olimpíada, o mesmo não acontece com o também estreante Sérgio Sasaki, que vai competir no individual geral. A meta dele é superar os 85.123 pontos que fez no Mundial de Tóquio, no ano passado, e chegar à final, entre os 24 melhores (com limite de dois por país). "Para ir à final, calculamos que ele deve fazer 87 pontos e é o que estamos buscando", explicou o técnico Renato Araújo.

Já Diego Hypolito, que esteve em Pequim como favorito à medalha de ouro e decepcionou, ficando no quinto lugar, chega à sua segunda Olimpíada. Na quinta, ele teve uma apresentação quase prefeita no treino de pódio do solo. "Ele foi muito bem e a expectativa é muito grande. Seus principais adversários serão Oshimura, do Japão, Zou Kai da China, Thomas Gonzales, do Chile, e Flavius, da Romênia. Também podemos citar um atleta novo da Rússia que está com a nota de partida muito alta e dois americanos muito bons. Enfim, há pelo menos de sete a dez atletas com grande potencial", avaliou o treinador Renato Araújo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.