Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Técnico vê obrigação do Brasil em ganhar a 1ª no Mundial de Handebol

Seleção masculina precisa triunfar nos três jogos restantes para se classificar à segunda fase sem depender de nenhum resultado

VÍTOR MARQUES - Enviado especial a Doha, O Estado de S. Paulo

18 de janeiro de 2015 | 15h17

O técnico da seleção masculina de handebol, o espanhol Jordi Ribera, reconheceu mais uma vez que gostou da atuação da equipe brasileira diante da Espanha, mas foi sincero ao falar que o Brasil precisa, mais do que nunca, de uma vitória no Mundial do Catar. "A sensação foi boa, mas não somamos pontos. Precisamos pontuar", afirmou. "A vitória não é um peso para gente, é a nossa realidade".

Jordi Ribera comandou um treino neste domingo focado em contra-ataques e finalizações - este foi o grande erro do Brasil na derrota para a Espanha. Ele espera que a sua equipe melhore o desempenho no ataque no jogo decisivo desta segunda-feira, às 12 horas (de Brasília), contra a Bielo-Rússia. "Temos três finais pela frente e está claro que queremos avançar no Mundial".

Segundo Jordi Ribera, o jogo contra a Bielo-Rússia será complicado. É um rival que aposta em jogadores de muita força física - cinco atletas têm 2 metros de altura. "Vai ser um jogo chato", disse. Como o Brasil e a Bielo-Rússia perderam seus dois primeiros jogos no Mundial, o jogo é considerado uma decisão para as duas equipes.

"Vamos ganhar", garantiu o ponta Fábio Chiuffa. "Para nós, é uma final. Se perdermos, vamos enfrentar a Eslovênia no próximo jogo, que é um rival mais forte", afirmou. Das seis seleções do grupo A, quatro avançam às oitavas de final.

*O repórter viajou ao Mundial a convite da Federação Internacional de Handebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.