Técnico volta; medalhista deixa Vasco

Um dos mais vitoriosos técnicos do atletismo brasileiro, Luiz Alberto de Oliveira, está de volta ao País, após anos trabalhando no exterior. O anúncio foi feito pelo presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), Roberto Gesta de Melo, durante almoço de lançamento do Grande Prêmio Brasil de Atletismo, hoje. Outra novidade foi a decisão do velocista Vicente Lenilson de Lima deixar o Vasco. Ele ganhou medalha de prata nas Olimpíadas de Sydney.Luiz Alberto e Vicente Lenílson vão se transferir para o Centro de Treinamento de Manaus (Cetram). O técnico vinha passando dificuldades nos Estados Unidos, por causa dos salários que não recebeu do Vasco. A grande dificuldade financeira, provavelmente, foi o principal fator a influenciá-lo nessa decisão. Sua chegada ao Brasil está prevista para o dia 1 de maio.A expectativa, agora, é para o retorno dos atuais atletas treinados por Luiz Alberto, dentre eles, os meia fundistas Sanderlei Parrela, quarto colocado em Sydney, além de vice-campeão mundial em Sevilha/99, e Hudson de Souza, integrante da equipe olímpica na Austrália. Outros atletas brasileiros já treinados por ele foram Agberto Guimarães, Joaquim Cruz e Zequinha Barbosa.Já Vicente Lenilson confessou não ter mais como se sustentar e, por isso, já encaminhou ao presidente do Vasco, Eurico Miranda, sua ficha de desvinculação do clube. O atleta admitiu estar com, aproximadamente, cinco meses de salários atrasados e que isso prejudicou seus treinamentos. "Estou vivendo de minhas reservas e da ajuda do meu treinador. Não dá mais para agüentar", afirmou.O que ainda pode prender Vicente Lenílson, de 23 anos, ao Vasco, é o fato de que ao se transferir para o Cetram, seu técnico, José dos Santos Figueiredo, não poderá acompanhá-lo. O atleta treina há cinco anos com Figueiredo, em Natal, e deixou claro que a separação será traumática.Sem treinar desde Sydney, a equipe olímpica medalhista de prata, no revezamento 4x100m, tem o início dos preparativos para o GP Brasil previsto para o dia 2, no Estádio Célio de Barros, no Complexo do Maracanã, local da disputa. A competição acontece, no dia 6, e também terá as participações das equipes dos Estados Unidos, Cuba e Argentina.O presidente da CBAt criticou os órgãos governamentais de São Paulo pela falta de apoio para a realização de eventos. Gesta afirmou que a maioria das competições de atletismo é realizada no Rio, por causa do amplo apoio local recebido de todos os segmentos governamentais e esportivos.Homenagem - Gesta informou que, durante o GP Brasil, a CBAt deve apresentar o novo logotipo da entidade, que homenageia o bicampeão olímpico Adhemar Ferreira da Silva, que morreu em 12 de janeiro, deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.