TECNOLOGIA AINDA É PREOCUPAÇÃO

Para o bom funcionamento do plano de segurança, é fundamental o suporte da Tecnologia da Informação. E há duvidas nessa área. De acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU) existem atrasos que podem comprometer o sistema de segurança na Copa das Confederações, o evento-teste para a Copa do Mundo, a ser realizada de 15 a 30 de junho deste ano.

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2013 | 02h06

Em dezembro passado, o órgão divulgou relatório dando conta que em 2012 não foi feita nenhuma contratação necessária para a área. O TCU teve como base 42 projetos - 28 de atribuição da Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos (Sesge) e 14 da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

O problema é que esses projetos estão diretamente ligados à operação dos Centros de Comando e Controle, que entre outras funções, terão informações em tempo real de todos os integrantes do sistema - polícias, Corpo de Bombeiros, agentes de trânsito, etc.

Os órgãos do governo, no entanto, não veem motivos para a preocupações. Na sexta-feira, a Sesge, por meio de sua assessoria, informou ao Estado que 92% do orçamento para a área de TI de 2012 (de R$ 810 milhões) teve execução orçamentária (gasto efetivo das despesas previstas). "Até aquele momento (do relatório do TCU) não havia prejuízo algum da execução dos programas em andamento'', diz a secretaria.

Ainda segundo o órgão, a partir do mês de março começará a ser feita a entrega efetiva dos equipamentos e materiais adquiridos. São itens como câmeras de altas precisão para serem instaladas em helicópteros que farão a vigilância aérea em estádios, entorno e outra áreas das cidades que receberão partidas da Copa das Confederações, equipamentos para os esquadrões antibombas - de roupas a robôs -, armamentos não letais, entre outros.

A Anatel também garante estar fazendo sua parte. Na quinta-feira, em Brasília, anunciou ter investido em 2012 R$ 52,5 milhões em projetos relacionados à Copa, R$ 6,8 milhões a mais do que o previsto para o ano (esse valor foi antecipado da previsão para este ano).

A agência afirma que os investimentos contemplaram soluções para o melhor aproveitamento do sistema de telecomunicações, backup de base de dados, sistema móvel de radiolocalização, entre outros projetos. / A.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.