Temporada vai começar para valer na Europa

Profissionais garantem que muita coisa ainda mudará no Mundial atual

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

21 de abril de 2009 | 00h00

Stefano Domenicali, diretor-geral da Ferrari, afirmou ainda na China que a corrida de Barcelona, dia 10, depois do GP de Bahrein, domingo, permitirá "uma visão mais verdadeira da Fórmula 1 este ano". Será no Circuito da Catalunha que a maioria das equipes terá já incorporado algumas das soluções aerodinâmicas de Brawn GP, Toyota e Williams, a principal delas o polêmico difusor duplo. "A prova pode fazer com que passemos a pensar já no projeto de 2010", afirmou. "Acredito que muita coisa poderá ainda mudar neste campeonato."Vários profissionais da F-1, a exemplo de Mario Theissen, diretor, e Robert Kubica, piloto, ambos da BMW, compartilham da ideia de que a real competição começará a partir da fase europeia da temporada. "As regras serão as mesmas para todos", explicou Kubica. Se no GP da Espanha e nos dois seguintes, Mônaco, dia 24, e Turquia, 7 de junho, o modelo F60 da Ferrari não conseguir avanços significativos, então a escuderia passará a concentrar-se no projeto de 2010. A afirmação é de Domenicali. Felipe Massa disse que o carro precisa de "maior velocidade e confiabilidade". E comentou: "Eu poderia ter chegado ao pódio (em Xangai) se não tivesse a pane elétrica no acelerador." O piloto acredita que o F60 pode ainda crescer muito de performance: "Confio no nosso time. Acho que lutaremos pelas vitórias novamente. A minha única dúvida é se quando isso acontecer já não será tarde demais quanto ao Mundial." A equipe, campeã mundial de construtores em 2008, ainda não pontuou. É seu pior começo de temporada desde 1981. A espetacular dobradinha da Red Bull no GP da China mostrou ser possível vencer a Brawn GP, equipe que havia vencido as duas primeiras etapas do calendário, na Austrália e Malásia. Adrian Newey, diretor da Red Bull, concebeu o melhor carro da temporada dentre os que não têm difusor duplo. A hora que o novo modelo modificado por ele for para a pista, provavelmente em Barcelona, uma nova ordem de força pode ser criada: a Red Bull assumindo o papel de concorrente direta da Brawn pela vitórias. "Confio muito no nosso projetista. O carro que ele fez, sem o duplo difusor, é o melhor que pilotei até hoje", disse o talentoso Sebastian Vettel, vencedor do GP da China, domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.