''''Tenho boa chance de título''''

Massa se diz otimista após desempenho nos testes

Livio Oricchio, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2008 | 00h00

Não tem essa de meias palavras com Felipe Massa: ''''Tenho grande chance de brigar pelo campeonato''''. Na entrevista concedida ontem, em São Paulo, o piloto da Ferrari até apontou seus adversários na luta pelo título: ''''Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton''''. O campeão de 2005 e 2006, Fernando Alonso, não está dentre os seus candidatos: ''''Ele na Renault é menos problema que na McLaren'''', afirmou.Sábado, Massa embarca para Melbourne, Austrália, onde dia 16 começa a temporada. E se depender de entusiasmo, começa a disputa do Mundial com confiança ainda maior do que no ano passado, quando foi definido por ninguém menos de Bernie Ecclestone, promotor do evento, como o seu ''''favorito''''. Alguns erros como na Malásia, no Canadá e na Hungria somados a problemas no modelo F2007 da Ferrari, a exemplo dos ocorridos na Austrália, Inglaterra e na Itália, o deixaram em último dentre os potenciais campeões, Raikkonen, Alonso e Hamilton.''''Atacamos exatamente essa questão da falta de confiabilidade do carro. O balanço dos testes é, sem dúvida, positivo'''', falou Massa. As maiores dificuldades em 2007 foram a pouca velocidade nas curvas de baixa velocidade e o número de quebras. ''''Acredito que a Ferrari está bem em relação às demais equipes, nossa base é boa, bem mais confiável quem em 2007.''''O resultado dos ensaios da pré-temporada, ao contrário do ano passado, demonstraram pequena vantagem para Raikkonen. O brasileiro discorda: ''''Não vejo diferença de performance até agora, estou muito bem dentro da equipe''''. Em 2007, o finlandês, sem conhecer o novo time e os pneus Bridgestone (corria com Michelin na McLaren), enfrentou algumas dificuldades no início, mas na segunda metade do campeonato reverteu a situação e acabou campeão. ''''Ele vem mais bem preparado, sem dúvida'''', reconheceu Massa.A Fórmula 1 está diferente sem o controle de tração e o sistema automático de largada. ''''Estava acostumado a acelerar tudo, não devagarzinho nas saídas de curva. No seco não será problema, mas no molhado, como em Fuji, em 2007, não sei se vai acabar algum carro.'''' As largadas serão mais desafiadoras: ''''Não é mais o computador, é o piloto que tem de dosar o acelerador, será uma largada mais humana.''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.