'Tenho que atacar', diz Massa sobre corrida na China

Em busca do título mundial, o brasileiro Felipe Massa prometeu ser agressivo no Grande Prêmio da China no domingo, após ter obtido um decepcionante terceiro lugar no grid neste sábado. O piloto de 27 anos está cinco pontos atrás do britânico Lewis Hamilton, com apenas duas provas para o fim da temporada. Depois de Xangai, restará o Grande Prêmio do Brasil, em Interlagos, no dia 2 de novembro. "Não posso negar que estou um pouco decepcionado com essa classificação", disse Massa. "Começar na frente é sempre importante, mesmo que a corrida seja longa. Mas darei o meu máximo para conseguir um grande resultado. Teremos que atacar para conseguir posições e acreditamos que temos uma boa estratégia para a prova." A Ferrari venceu três das últimas quatro corridas na China e esperava-se que a equipe estivesse bem novamente neste ano. Massa, que tenta seu primeiro título mundial, disse que a equipe teve dificuldade para encontrar o melhor equilíbrio do carro, mas está confiante de que o rendimento de sua Ferrari melhore para a prova, que terá 56 voltas. "Tivemos um resultado parecido (nos treinos) na última corrida, mas conseguimos um bom ritmo na prova", disse. "Espero estar forte na corrida e tentaremos melhorar o carro especialmente para os trechos longos." "Com certeza, nossos adversários foram bem e estarão competitivos. Vamos esperar que estejamos mais competitivos do que eles", acrescentou Massa. O finlandês Kimi Raikkonen, campeão do ano passado, largará na segunda posição. Embora tenha prometido ajudar o brasileiro na luta pelo título, ele disse que tentará a vitória para aumentar as chances de a Ferrari vencer o Mundial de construtores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.