Arquivo/AE
Arquivo/AE

Tênis de mesa: Matsumoto bate Hoyama e ganha torneio

Os dois foram campeões do Latino-Americano por equipes e também faturaram o título nas duplas

Redação,

27 de março de 2009 | 18h13

Os mesa-tenistas Hugo Hoyama e Cazuo Matsumoto estiveram juntos no Campeonato Latino-Americano em El Salvador. Os dois foram campeões por equipes (ao lado de Eric Mancini e Paulo Rocha) e, juntos, venceram também a disputa de duplas. Nesta quinta, no individual, cada um foi para um lado da mesa e os brasileiros viraram adversários na final. Melhor para Cazuo Matsumoto, que venceu por 4 a 2.

Antes de chegar à final, Hoyama fez três partidas. Na primeira, derrotou Alberto Mino, do Equador, por 4 a 1. "Esse foi um belo jogo. Saquei e recebi bem, errei poucos ataques e não dei muitas chances ao adversário. Prova disso é que o último set foi 11 x 1. Fiquei bem satisfeito com essa partida, que me deu ainda mais ânimo para prosseguir na disputa pelo título", contou.

Na sequência, Hugo Hoyama venceu o venezuelano Jonathan Pino por 4 a 3. "Nesse jogo estranhei um pouco as bolas dele, pois eram lentas, principalmente quando ele defendia meus ataques. Com isso, errei algumas bolas no início do jogo, perdendo um pouco do foco, e ele aproveitou as chances, mas no último set deu tudo certo", disse o mesa-tenista brasileiro.

Já na semifinal, Hoyama enfrentou o argentino Pablo Tabachnik e venceu por 4 a 2. "Foi um jogo amarrado, mas consegui atacar mais do que ele, o que foi crucial para minha vitória. Ele conhece muito bem o meu jogo, pois já nos enfrentamos mais de 30 vezes. Por isso, minha concentração foi importante. Tinha que dar o mínimo de chances a ele e foi o que eu fiz", contou.

Na final, Hugo Hoyama sofreu com a falta de ritmo de jogo. "Durante todo o torneio, tive momentos de altos e baixos, pois foi meu primeiro campeonato de 2009, enquanto o Cazuo estava jogando na França. Além disso, ele mereceu ganhar. Jogou muito bem a final, colocou muitas bolas na mesa, esperando pelos meus erros e aproveitou bem suas chances", analisou Hoyama, que ficou satisfeito com o resultado geral.

"No geral, saio satisfeito com meu desempenho. Perdi somente uma partida individual, para o Cazuo, na final do individual, mas pude ver que mantendo um bom ritmo de treino, e participando de mais torneios ao longo do ano, poderei voltar a jogar no mesmo ritmo de antes", concluiu Hugo Hoyama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.