Terceiro ouro faz de Thiago maior destaque do Brasil no Pan

A terceira medalha de ouroconquistada por Thiago Pereira nos Jogos Pan-Americanos do Riojá seria o suficiente para que o nadador ficasse satisfeito comseu próprio rendimento, a menos que ele não tivesse ao menosmais quatro provas pela frente até domingo. Em busca de bater o recorde de medalhas do Brasil em um sóPan, as seis conquistadas pelo também nadador Djan Madruga em1979, Thiago atropelou os adversários na final destaquinta-feira dos 200 metros costas, em uma prova que o Brasiltambém conquistou o bronze, com Lucas Salatta. "Consegui o que eu queria", disse o nadador de 23 anos ajornalistas após sair da piscina. "Sabia que seria uma provamuito difícil os 200 metros costas, nos últimos 50 metros euestava morto, mas pensei: ''agora tem que ir''." Thiago venceu com o tempo de 1min58s42, contra 1min59s24 donorte-americano medalha de prata Scott Clary e 1min59s51 deSalatta. O terceiro ouro faz de Thiago o maior destaque individualdo Brasil no Pan, superando os dois títulos conquistados peloginasta Diego Hypólito. Antes da vitória no estilo costas, elejá havia subido no degrau mais alto do pódios nos 400 metrosmedley e como membro da equipe do revezamento 4x200 metroslivre. A quinta-feira será o dia mais intenso do calendário deThiago no Pan. Antes da medalha, ele disputou as semifinais dos200 metros medley, sua prova favorita, e classificou-se para afinal com o segundo melhor tempo, depois de ter claramentediminuído o ritmo após ter aberto boa vantagem. Esta noite ele ainda nada as eliminatórias dos 200 metrospeito e do revezamento 4x100 metros livre, prova que não devedisputar a final mas que lhe garantirá medalha caso a equipesuba ao pódio. Thiago disputa ainda no Pan os 100 metros costas e devecompor a equipe do 4x100 metros medley. "Meu primeiro objetivo era vir para cá e conseguir pelomenos uma medalha de ouro, porque eu já tinha uma de prata euma de bronze de Santo Domingo (Pan de 2003). Já consegui maisduas de ouro, mas ainda tem muita prova esta semana e queroajudar o máximo que puder o Brasil no quadro de medalha",afirmou Thiago, que tem se revezado numa rotina de competir,comer e dormir para chegar inteiro às provas. O Pan-Americano não é a primeira vez que Thiago encara amaratona. Na preparação para os Jogos ele chegou a cair na água17 vezes em menos de uma semana, durante as etapas de Barcelonae Canet do circuito europeu. O nadador afirmou que o maior obstáculo para chegar aossete ouros no Pan será os 100 metros costas, em que terá comoprincipais adversários os norte-americanos Peter Marshall eRandall Bal. Segundo o técnico de Thiago, Fernando Vanzella, onadador teria que melhorar em mais de um segundo seu tempo paraganhar a prova. Vanzella afirmou que o melhor tempo de Thiagona prova é 55s30, contra 53s08 de Bal e 54s de Marshall. Além dos adversários duros, a prova será disputada noúltimo dia da competição de natação do Pan, após Thiago já terencarado outras seis disputas. "Os 100 costas vai ser a mais disputada, mas acho que vaiser decidido na piscina, tempo de balizamento não ganha prova",disse ele. "Vou estar bem cansado, mas até por ser o último diavou dar o resto de energia que tiver."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.