Terezinha leva seu 3º ouro e Brasil já está em 4º no geral

Terezinha largou sob a chuva fina que encerrou um dos raros dias de sol da fria Christchurch - fazia 22 graus. Venceu com facilidade os 400 metros (57s16) da classe T11 (cegos) e celebrou a terceira medalha de ouro na Nova Zelândia. Com o feito, a velocista igualou o tri de André Andrade, que ganhou as mesmas provas (100m, 200m e 400m) na categoria T13 (baixa visão) no Mundial de Lille, em 2002.

Amanda Romanelli, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

A velocista dividiu seu momento com Ádria dos Santos, atleta que pôs o para-atletismo brasileiro em evidência, quando conquistou seus primeiros grandes resultados (ouro e recorde mundial nos 200 m) na Paraolimpíada de Sydney, em 2000. "Todo esse Mundial foi um presente para mim. Gostei muito de subir no pódio com a Ádria na minha última prova." Depois de falhar nas eliminatórias dos 100 m e dos 200m, Ádria garantiu o bronze.

O Brasil ainda levou ouro com Yohansson Nascimento nos 100 m T46 (amputados), com recorde mundial (11s01), e Shirlene Coelho no lançamento de dardo classe F38 (paralisados cerebrais). Ao fim do 5º dia, o País soma 8 ouros, 6 pratas e 6 bronzes, em 4º na classificação geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.