Testes indicam que Red Bull e McLaren largam na frente

Depois de oito dias de treinos coletivos, as duas equipes foram as que apresentaram os carros mais eficientes

LIVIO ORICCHIO, O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h03

Desde o início dos testes, dez das 12 equipes inscritas no Mundial realizaram oito dias de treinos coletivos, quatro em Jerez de la Frontera e quatro em Barcelona, estes encerrados sexta-feira. Os tempos não refletem com precisão como deverá ser a disputa nas primeiras etapas, afinal oito pilotos distintos estabeleceram os oito melhores tempos nos ensaios.

Já as marcas registradas nas simulações de corrida, quando os pilotos permanecem 12, 15, 18 voltas seguidas na pista, têm representatividade. E depois de mais de 3 mil quilômetros de testes, já é possível projetar Red Bull e McLaren como as mais eficientes no momento. Ferrari e Mercedes ainda estão atrás.

O cenário é semelhante ao do final do campeonato de 2011. Sebastian Vettel e Mark Webber, da Red Bull, na frente, e na sequência a dupla da McLaren, Jenson Button e Lewis Hamilton. Há, porém, uma diferença importante. Button a descreveu no Circuito da Catalunha, após confrontar a McLaren MP4/27-Mercedes com a Red Bull RB8-Renault. "Eles ainda têm uma vantagem, mas é pequena.''

Na temporada passada, o projetista da Red Bull, Adrian Newey, explorou como ninguém o conceito do escapamento aerodinâmico e conseguia, por vezes, ser mais de um segundo mais rápido que todos. "Este ano esse recurso está proibido'', lembra o bicampeão, Vettel. "Por isso espero uma luta apertada.'' É o que o ensaio em Barcelona mostrou.

Evidenciou, ainda, que a Red Bull pode não começar o campeonato com a impressionante confiabilidade de 2011. Vettel e Webber enfrentaram problemas pouco comuns na escuderia, em especial com a nova transmissão. Percorreram menos quilômetros que a McLaren, por exemplo, 3.532,3 contra 3.009,6.

Ross Brawn, em 1995 diretor técnico da Benetton, campeã com Michael Schumacher, afirmou ao Estado, no Japão: "Até descobrirmos um acerto básico para o carro, tínhamos dúvidas sobre sua competitividade''. E explicou: "Depois que encontramos o caminho entendemos seu imenso potencial''. Pode vir a ser o caso da Ferrari, agora, com o seu F2012, projeto inovador.

Como Felipe Massa afirmou ter descoberto essa estrada sexta-feira, então no próximo teste da Ferrari, de 2 a 5, da mesma forma no Circuito da Catalunha, os italianos devem vir mais fortes. "Mas temos muito trabalho pela frente'', comentou Massa.

O caso da Mercedes, de Michael Schumacher e Nico Rosberg, é parecido. Ambos expressaram contentamento com o avanço, mas disseram-se conscientes de que a Mercedes (que em Jerez treinou com o carro de 2011) não está no mesmo nível de Red Bull e McLaren.

A dúvida é a Lotus. Em Jerez sugeriu dispor de um carro veloz, E20-Renault, mas não pôde treinar em Barcelona por uma falha de projeto. Comentou-se no autódromo que existe um problema estrutural nas laterais. Treinará em Barcelona de 1 a 4 com os demais, exceto Ferrari e Red Bull. Force India, Sauber, Toro Rosso e Williams, de Bruno Senna, estão num nível muito semelhante, bem como se aproximaram das melhores. As quatro disputam o sexto lugar entre os construtores. "Será ponto a ponto'', disse Giorgio Ascanelli, diretor técnico da Toro Rosso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.