Cbat/Divulgação
Cbat/Divulgação

Thiago André faz índice para Olimpíada na prova dos 1.500 metros

Atleta de apenas 19 anos chega em quinto no Meetng de Hengelo

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Estadão Conteúdo

24 de maio de 2015 | 16h33

A temporada internacional dos principais nomes do atletismo brasileiro começou neste domingo com mais um índice para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Thiago André, de apenas 19 anos, tornou-se o 21.º brasileiro a se classificar individualmente para a Olimpíada ao ser o quinto colocado do Meeting de Hengelo, na Holanda.

Na prova mais forte do ano até aqui, o atleta da BM&F Bovespa-SP entrou no ritmo dos primeiros colocados e completou em 3min35s90, baixando em dois segundos e meio o seu recorde pessoal. Como correu abaixo do índice de 3min36s20, classificou-se para os Jogos do Rio, em 2016, e para o Mundial de Pequim (China), em agosto deste ano.

Quarto colocado no Mundial Juvenil do ano passado nos 1.500 metros e também nos 800 metros, Thiago agora vai poder se concentrar em buscar o índice na prova mais curta. Ele tem como recorde pessoal 1min45s99, um centésimo a menos do que o mínimo exigido tanto para o Mundial quanto para os Jogos do Rio.

OUTRAS PROVAS

Classificada para a Olimpíada no salto com vara depois de vencer o Troféu Brasil, Fabiana Murer não começou bem a temporada internacional. Em Hengelo, dividiu o bronze com a suíça Nicole Buchler após saltar apenas 4,55 metros, 10 centímetros a menos do que no domingo passado, em São Bernardo do Campo (SP). A campeã na Holanda foi a grega Nikoleta Kyriakopoulou, com 4,60 metros.

No salto em distância, Duda competiu com a responsabilidade de precisar passar de 8,13 metros para assumir um dos dois primeiros lugares do ranking nacional e se classificar para os Jogos Pan-Americanos de Toronto (Canadá). Com apenas 7,78 metros, entretanto, o bicampeão mundial indoor segue fora do Pan e sem índice para Mundial e Olimpíada. A lista do Pan fechará no próximo domingo e Duda tem previstas mais duas competições até lá.

Em Hengelo, o Brasil ainda fez sétimo lugar com Izabela Rodrigues no lançamento do disco (57,47 metros, enquanto que o índice olímpico é 61,00 metros) e com Eliane Martins no salto em distância, com 6,19 metros, a 51 centímetros de se classificar para a Olimpíada.

Já no Challenger de Dakar (Senegal) competiram outros três brasileiros. Leila Ferrer foi prata no dardo com 59,15 metros, enquanto que Jucilene Lima terminou em quarto, com 57,49 metros. Por enquanto só Jucilene tem o índice mundial (61,00 metros), mas não o olímpico - a distância necessária é a mesma, mas a tomada de marcas começou depois. Ronald Julião foi o quinto no disco, com 61,19 metros, a quase cinco metros do índice.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.