Phil Noble/Reuters
Phil Noble/Reuters

AO VIVO

Confira tudo sobre a Copa do Mundo da Rússia 24 horas por dia

Thiago Braz decepciona e fica fora do pódio no Mundial Indoor de Atletismo

Saltador brasileiro conclui apenas um dos seis saltos que tentou e ficou apenas em 12º no classificatório

Estadão Conteúdo

04 Março 2018 | 17h06

Dono da quarta melhor marca do mundo em competições em estádios cobertos e de volta às competições após desistir de disputar o Mundial de Londres no ano passado, o brasileiro Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara, ficou fora neste domingo do pódio do Mundial Indoor de Atletismo disputado em Birmingham, na Grã-Bretanha.

+ Com melhor salto da carreira, Almir Junior fatura prata no Mundial Indoor

+ Com recorde, americano conquista o ouro nos 60m

Thiago acertou apenas um dos seis saltos executados na Barclaycard Arena e se despediu do grande evento na 12ª colocação, com 5,60m. O brasileiro superou os 5,60m na terceira tentativa, abriu mão dos 5,70m e não conseguiu passar dos 5,80m.

"Estava preparado para ganhar a medalha. Treinei muito porque esta era a minha principal competição da temporada. Infelizmente, não consegui me adaptar à pista. Não encaixei minhas passadas", lamentou o atleta, em declarações reproduzidas pelo site da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).

Com o resultado deste domingo, Thiago mantém um tabu incômodo de pódios em Mundiais, tanto indoor quanto outdoor. Em pista coberta, o melhor resultado do atleta brasileiro foi na edição de estreia, em 2014, em Sopot, na Polônia, quando terminou em quarto lugar (5,75m).

A medalha de ouro ficou com o francês Renaud Lavillenie, que precisou de quatro saltos para alcançar 5,90m e conquistar o tricampeonato mundial indoor. Com o título assegurado, o francês ainda tentou sozinho ultrapassar a barreira dos 6,00m, mas não teve sucesso. O americano Sam Kendricks e o polonês Piotr Lisek (ambos com 5,85m) completaram o pódio com a prata e o bronze, respectivamente.

GABRIEL SURPREENDE

Quem surpreendeu neste domingo foi o jovem Gabriel Vasconcellos, de 23 anos, que terminou o seu primeiro Mundial Indoor com a sexta posição nos 60m com barreiras, prova que não é olímpica, com o tempo de 7s71, abaixo de sua melhor marca na carreira (7s60). "Foi uma boa experiência e a partir de agora vou pensar apenas na temporada ao ar livre, na prova dos 110 m com barreiras. Quero conseguir bons resultados", disse Gabriel.

O título ficou com o britânico Andrew Pozzi (7s46) e o pódio foi completado pelo norte-americano Jarret Eaton (7s47) e pelo francês Aurel Manga (7s56), respectivos medalhistas de prata e de bronze.

Antes da disputa por medalhas desta prova, Gabriel surpreendeu ao avançar às semifinais com o 20º melhor tempo no geral, antes de conquistar a oitava marca mais rápida (7s61) das baterias qualificatórias para a final.

Este domingo foi o de encerramento do Mundial Indoor. O melhor desempenho entre os sete brasileiros que disputaram a competição foi de Almir Júnior, que conquistou a medalha de prata no salto triplo no sábado com a marca de 17,41m, apenas 2 cm atrás do campeão, o norte-americano Will Claye.

Além de Gabriel Vasconcellos e Almir Júnior, outros dois atletas do Brasil estiveram no Top 10 de suas provas. Darlan Romani ficou com o quarto lugar no arremesso de peso e Núbia Soares foi a nona colocada no salto triplo feminino.

Mais conteúdo sobre:
atletismo Thiago Braz

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.