Thiago Pereira lamenta: 'Não tem nada que eu possa fazer'

Dentro da piscina Thiago Pereira igualou o recorde de medalhas de um atleta nos Jogos Pan-Americanos, ao chegar à frente de seus adversários na prova de 400m medley. Mas logo que saiu da água viu que tinha sido desclassificado. Os árbitros alegaram que houve um problema na virada do nado peito para o crawl. "Nunca fui desclassificado dessa maneira", disse.

NATHALIA GARCIA E PAULO FAVERO, enviados especiais a Toronto, Estadão Conteúdo

16 de julho de 2015 | 21h41

Thiago fez 4min14s08, mas ao perder a primeira posição, o ouro ficou com o também brasileiro Brandonn Pierry, que quebrou o recorde mundial júnior com o tempo de 4min14s47. "Não tem nada que eu possa fazer, teimar não adianta. É como no futebol quando o juiz marca um pênalti", lamentou Thiago.

Ele alega que os juízes estão questionando algo muito delicado no momento da virada. "É muito difícil, a mecânica não permite porque você já está com os dois braços na frente. O que pode acontecer é estar um braço em cima e outro em baixo", comentou o atleta, que ainda não sabe se conseguirá reverter a situação.

A comissão técnica da natação brasileira já entrou com recurso e justamente por isso não houve pódio da prova. "O Ricardo (de Moura, chefe de delegação da natação) está lá brigando, agora é esperar", afirmou o atleta, que só foi perceber que foi desclassificado quando estava tentando retomar o ar pelo desgaste na prova.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosnatação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.