Thiago Pereira é bronze no Maria Lenk e se garante em mais duas provas no Pan

Buscando se tornar o maior medalhista pan-americano da história do País, Thiago Pereira está assegurado em mais uma prova em Toronto (Canadá). Nesta terça-feira, depois de ser o mais rápido nas eliminatórias da manhã, o nadador do Minas Tênis Clube apenas assistiu à final dos 200 metros peito no Troféu Maria Lenk, no Fluminense. O corintiano Felipe França, seu principal concorrente na prova, porém, não conseguiu melhorar o tempo da manhã.

Estadão Conteúdo

07 de abril de 2015 | 18h25

Thiago não participou da final porque só pode competir em quatro provas no Maria Lenk, que vale como Campeonato Brasileiro. Ele nadou pela manhã em observação e fez índice para o Mundial da Kazan (Rússia). Nas eliminatórias, Felipe França também ficou abaixo dos 2min11s66 exigidos, mas tem só o terceiro melhor tempo do país.

Assim, o medalhista olímpico terá a companhia nos 200m peito, em Kazan, do corintiano Thiago Simon, que venceu o Maria Lenk com 2min11s79, mas já havia feito índice para a prova no Torneio Open, no ano passado. O garoto Andreas Mickosz, de apenas 18 anos, e Felipe França, ambos do Corinthians, completaram o pódio.

Thiago Pereira só nadou uma final nesta tarde no Fluminense, terminando em terceiro nos 100 metros borboleta, prova em que ele também estará no Mundial, tendo feito o índice no Open. A vitória no Maria Lenk ficou com o corintiano Arthur Mendes, com 52s33, baixando em dois centésimos o tempo da manhã. Nos dois casos, passou por pouco o índice para Kazan, de 52s36. Em segundo ficou Henrique de Souza, do Minas, com 52s53, sem índice.

Os resultados desta terça-feira garantiram Thiago nos 200m peito e nos 100m borboleta no Pan de Toronto porque em ambas as provas ele tem um dos dois melhores tempos do País. Assim, tem a prioridade (junto com Thiago Simon e Arthur Mendes, respectivamente) para nadá-las em Toronto. A convocação será feita pela CBDA depois de um congresso técnico.

FEMININO - Entre as mulheres, Daynara de Paula (Sesi) e Daiene Dias (Minas) serão as representantes do Brasil nos 100m borboleta em Kazan. Etiene Medeiros, que nadou em observação pela manhã, até fez o índice para o Mundial, mas foi mais lenta que as duas rivais, que são especialistas na distância e haviam feito índice no Open.

O título do Maria Lenk ficou com Daynara de Paula, que completou a prova em 58s82, contra 59s80 da corintiana Bruna Lemos e 1min00s28 de Daiene Dias. Com os 59s36 do Open, Daynara foi a mais rápida das seletivas e terá a preferência por nadar borboleta no revezamento 4x100m medley.

Nos 200m peito, se a prova masculina teve três índices, no feminino o nado peito segue sendo o estilo menos desenvolvido. O Troféu Maria Lenk, que vale como Campeonato Brasileiro Absoluto, teve duas argentinas com ouro e prata: Julia Sebastian (Unisanta) e Macarena Ceballos (Minas). A melhor brasileira foi Pamela Alencar, do Corinthians, com 2min30s31, a mais de três segundos do índice.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.