Thiago Pereira e Etiene falham na 1ª tentativa de índice para o Mundial

Os dois principais nadadores a pularem na água da piscina do Fluminense, nas finais do Troféu Maria Lenk, em busca de índices para o Mundial de Kazan (Rússia), falharam na tentativa. Etiene Medeiros até venceu os 100m costas, mas sem a marca mínima exigida para a competição. Na mesma prova, Thiago Pereira ficou com a prata, sem índice. Os melhores resultados do primeiro dia do Maria Lenk, assim, vieram nos 200m livre feminino, com dois índices e recorde sul-americano para Larissa Oliveira.

Estadão Conteúdo

06 de abril de 2015 | 18h01

Campeã mundial dos 50m costas em piscina de 25 metros, Etiene Medeiros não vai ao Mundial na sua principal prova olímpica. Nesta segunda-feira, a atleta do Sesi venceu os 100m costas no Rio com 1min00s61, ficando a 0s36 do índice exigido. Como estará em Kazan, entretanto, ela deverá ser escalada para nadar a prova. Etiene foi acompanhada no pódio pela argentina Andrea Berrino (Unisanta) e Natália de Luccas (Corinthians).

Thiago Pereira, que este ano tenta variar seu "cardápio" de provas, também falhou nos 100m costas. Agora nadando pelo Minas, ele foi prata com 54s92, enquanto o índice é 54s36. Guilherme Guido venceu com 54s56, mas o atleta do Pinheiros já havia obtido índice no Brasileiro Absoluto, no ano passado, quando fez 53s73. Assim, será de Guido a prioridade para abrir o revezamento 4x100m medley do Brasil em Kazan.

BONS RESULTADOS - Nos 200m livre feminino, os resultados foram expressivos para a natação brasileira de forma geral. Larissa Oliveira, do Pinheiros, bateu o recorde sul-americano e nacional, com 1min58s53, equivalente ao 20.º lugar do ranking mundial. Ela foi seguida da companheira de clube Manuella Lyrio, prata com 1min58s74. As duas alcançaram índices para o Mundial.

A soma dos tempos delas, de Jéssica de Bruin Cavalheiro (Sesi) e Gabriele Roncatto (Pinheiros) dá 7min59s41, bem abaixo do atual recorde sul-americano da prova: 8min05s29, marca feita há 11 anos, nos Jogos Olímpicos de Atenas-2004. Na prova de revezamento, ainda há ganho expressivo no tempo de reação de largada. Aos 16 anos, Roncatto conseguiu índice para o Mundial Júnior e deve evoluir bastante ainda até a Olimpíada.

Na prova masculina de 200m livre, nenhum novo índice. Nicolas Oliveira, do Minas Tênis Clube, baixou a marca da manhã e ganhou com 1min47s45, ratificando a classificação para Kazan e assumindo o nono lugar do ranking mundial. João de Lucca, do Pinheiros, ficou a 0s20 do índice, com a prata. A equipe do 4x200m no Mundial, além deles, terá João Veras Amorim (Corinthians, pela marca que fez nas Eliminatórias) e André Pereira (GNU, prata no Maria Lenk). Leonardo de Deus (Corinthians) decepcionou, terminando em quinto. Em Kazan, será segundo reserva. Vinicius Waked (Unisanta) foi melhor que ele.

O Maria Lenk também vale como tomada de índices para os Jogos Pan-Americanos, mas a seleção que irá ao torneio não será definida agora. Afinal, da CBDA vai considerar para a convocação os melhores índices técnicos (um numeral é predefinido para cada tempo de cada prova) entre aqueles que se colocarem à disposição de competir em Toronto - Cesar Cielo, por exemplo, deverá ir só a Kazan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.