Thiago Pereira reclama que Jogos Sul-Americanos não terão transmissão

Vice-presidente da comissão de atletas da Fina, nadador reclama de tratamento ao esporte olímpico

AE, Agência Estado

07 de março de 2014 | 18h24

SÃO PAULO - Um dos principais nomes da delegação brasileira que está nos Jogos Sul-Americanos de Santiago, Thiago Pereira mostrou insatisfação, nesta sexta-feira, com o fato de a competição no Chile não ser transmitida por nenhum canal para o Brasil. O nadador, que conquistou duas medalhas nos Jogos Olímpicos de Londres, no ano passado, atacou principalmente a Record, que é a detentora dos direitos de transmissão.

"A Record diz que é a emissora do esporte olímpico brasileiro. Gostaria de saber o real motivo de não transmitirem as nossas provas, não só da natação, mas de todas as modalidades", lamentou o nadador, que é vice-presidente da Comissão de Atletas da Fina (Federação Internacional de Natação) e membro da Comissão de Atletas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro).

Os Jogos Sul-americanos começaram nesta sexta-feira com a participação de 490 atletas brasileiros, de modalidades olímpicas e não-olímpicas. Thiago é um dos destaques da delegação, que tem Yane Marques, Arthur Zanetti, os irmãos Hypolito e boa parte da seleção campeã mundial do handebol, entre outros.

Apesar da presença de diversos atletas de renome, principalmente na ginástica, no atletismo e na natação, os Jogos não serão transmitidos pela Record. A emissora fez grande cobertura dos Jogos de Inverno de Vancouver/2010, do Pan de Guadalajara/2011 e dos Jogos de Londres/2012, quando tinha direitos exclusivos de transmissão.

Nos Jogos de Sochi, este ano, o volume de transmissões foi menor. Agora, nos Jogos Sul-Americanos, não foi informada a transmissão ao vivo de nenhum evento realizado no Chile. A emissora se gaba que tem também direitos exclusivos sobre o Pan de Toronto, em 2015.

"Está cada vez mais difícil ser um atleta olímpico no Brasil. Sem visibilidade não temos retorno dos patrocinadores, algo que é inadmissível faltando dois anos e meio para uma Olimpíada em nossa casa. Nós precisamos ficar em evidência e o Sul-Americano é muito importante. Concordo que somos o país do futebol, é uma questão cultural, mas há espaço. Vejo tudo isso como uma falta de respeito aos atletas brasileiros", reclamou Thiago.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.